sábado, 11 de fevereiro de 2012

Capítulo 4 – Desculpas

Quando eu finalmente consegui me acalmar, Selena me ajudou a tomar um banho e vestir uma roupa confortável. Eu me encolhi na minha cama, estava frio lá fora e ainda entre as lágrimas contei a ela tudo que tinha acontecido. Contei do dia perfeito que tivera com Joe, contei como ele ficou chateado ao pedir a ele que me levasse até David, contei como ele me traira, e como acusei Joe de ajudá-lo. E também contei como fui tragicamente atropelada... O dia perfeito. 

_Eu não acredito nisso_ Selena disse com espanto.

_Eu sei... Como o David teve a cara de pau de me trair?_ eu questionei zangada.

_Não, não, eu já sabia que ele era um canalha imbecil_ ela revirou os olhos_ eu não acredito é que você acusou o Joe... Justo o Joe de acobertar o David... Como pode dizer que odiava ele? 

_Eu sei que foi burrice minha, mais não vem me criticar ta bom?_ protestei_ não foi você que pegou seu namorado na cama com outra. Eu tava zangada, não quis magoar ele. 

_Bom, tarde demais né_ ela bufou e cruzou os braços.


Selena não estava ajudando em nada falando comigo daquele jeito... Será que ela não via que eu estava magoada, que fui traída atropelada e ainda me sentia uma idiota completa? Não precisava de ninguém pra me fazer sentir pior. O resultado disso? Eu desabei em lágrimas de novo... Nunca tinha chorado tanto na minha vida, eu me sentia uma inútil. 

_Ah, por favor, não chora_ Selena pediu.

_Eu não queria que ele ficasse com raiva de mim_ eu disse. 

_Oh droga_ ela resmungou_ eu vou bancar a melhor amiga agora e vou falar com ele... Eu obrigaria você a ir até ele, mais esta machucada e hoje é seu aniversário... Vou te dar um desconto. 

_Diz pra ele que eu sinto muito?_ pedi fazendo bico. 

_Não_ ela sacudiu a cabeça_ você mesma vai dizer isso a ele_ eu já volto... Hora de bancar o cupido.

_Como assim cupido?_ eu fiz careta limpando as lágrimas, minha aparência devia estar horrível. 


Selena me fitou por um longo minuto como se não acreditasse no que ouvia... Como se eu fosse burra ou mentalmente incapaz. Ela sabia mesmo como fazer uma pessoa se sentir mal sem precisar abrir a boca, meu Deus.


_Você realmente não sabe né?_ ela perguntou bem baixo. 

_O que?_ a fitei confusa.

_O quanto ele se importa com você_ ela murmurou com um meio sorriso.

_Ele é meu melhor amigo_ respondi, é claro que sabia que ele se importava comigo, é o que os amigos fazem.

_Só porque você quer_ ela deu de ombros.


Ela não disse mais nada, só saiu do quarto e eu fiquei com cara de tacho, sem conseguir entender... Aquilo era uma indireta? 

Eu pus o travesseiro no colo e me agarrei a ele enquanto esperava, queria que tivesse algo pra fazer aquela dor que eu sentia passar. Na verdade eu sabia oque podia me confortar... Mais ele não estava ali comigo. 




Joe Narrando


Eu estava sentado no sofá sozinho, me xingando mentalmente por ser um completo imbecil. 

Quando ouvi Demi sussurrar meu nome no quarto tive uma enorme vontade de correr pra abraçá-la, mais a outra parte de mim se recusou a olhar pra ela e ver as lágrimas que ela derramava por ele. Eu era masoquista mais nem tanto. Já havia passado tempo demais vendo ela nos braços de outro... Não precisava assistir ela chorar por ele também.

Sei que meu papel de melhor amigo era ficar com ela e apoiá-la... Mais pelo menos uma vez eu tinha que me preocupar com meus sentimentos. Eu não sabia quanto um coração agüentava ser pisoteado... Aparentemente o meu tinha chegado ao limite essa noite.

_Joe?_ eu não precisei olhar pra saber que Selena estava parada na porta me olhando. Eu conhecia bem aquele tom de voz dela, era de quem queria alguma coisa.

_Vai embora_ eu pedi ainda fitando o chão_ eu quero ficar sozinho. 

_Eu não quero perturbar você_ ela se aproximou e se sentou a minha frente_ só quero conversar um minutinho. 


Eu sabia o que ela queria falar, porém eu não queria falar sobre aquilo... Apenas por um minuto eu gostaria de esquecer... Só um misero minuto eu gostaria de poder deixar de lado tudo aquilo. Mais aparentemente eu não podia... Alguma coisa sempre me arrastava de volta pra ela. Alguém la em cima gostava de me ver sofrer. 


_Ela precisa de você Joe_ sussurrou pra mim, ninguém se importava com o que eu precisava.

_Não_ eu discordei_ ela precisa dele... Eu sou apenas um palhaço no ombro de quem ela vai chorar e dizer o quanto o ama e esta sofrendo. 

_Joe, ela te ama_ ela murmurou.

_Não... Ela ama ele_ eu discordei o mais pacientemente possível_ eu estou cansado de ficar ouvindo isso o tempo todo. 

_Não é culpa dela_ Selena argumentou_ não pode ficar com raiva dela por causa disso. Agente não escolhe essas coisas.

_Você não entende não é?_ eu a olhei zangado, estava com tanta raiva contida que sentia meus olhos arderem, eu queria chorar... Mais não faria isso na frente dela_ eu não tenho raiva dela... É impossível pra mim ficar com raiva dela. Eu tenho raiva é da situação Selena... Eu odeio o fato de que ela goste tanto dele, odeio que ela me veja apenas como um amigo... E principalmente, eu me odeio por gostar tanto dela. 


Ela ficou me olhando em silencio, esperando que eu desabafasse, há muito tempo eu queria poder gritar isso pra alguém, mais a pessoa que realmente devia ouvir não estava ali e nunca ia saber daquilo. 


_Eu sinto muito que você se sinta assim_ ela disse sinceramente_ eu nem imagino o quanto isso deve ser difícil pra você.

_É não imagina_ eu concordei com um sorriso amargo. 

_Mais embora não seja do jeito que você espera, ela te ama Joe_ selena afirmou_ você é importante pra ela, e ela esta precisando de você agora. É o melhor amigo dela... Não vai deixá-la chorando sozinha vai?

_Não quero vê-la chorando por causa dele... Eu não posso fazer isso_ disse com os dentes trincados, meu coração doía. Era como se eu tivesse sido traído e não ela. 

_Joe, acredite... Ela esta mais triste por sua causa do que por ele_ suspirou_ ela esta triste por ter magoado você. Eu sei que é difícil pra você... Eu entendo, mais... De uma chance ela. Ela precisa de alguém que cuide dela, que a ajude a concertar o coração partido e ninguém melhor do que você que a ama tanto.

_E quem vai cuidar de mim Sel? Quem vai juntar os cacos do meu coração depois?_ eu perguntei tristemente. 


Aquilo podia soar estranho saindo da minha boca, mais embora eu fosse homem eu também sofria por amor... Era mais difícil do que eu deixava transparecer. Experimente passar anos gostando de alguém e nunca ter a oportunidade de dizer isso a ela. Experimente assistir todos os dias a pessoa que você ama nos braços de outro... Experimente ouvir ela dizer pra você que o ama e tente sorrir fingindo estar feliz, só pra não ter que estragar a felicidade dela.

Depois de um tempo você acaba esquecendo o que é ser você mesmo... Só o que importa é a outra pessoa. Você se torna uma pessoa triste, amarga. Cada sorriso é falso, cada palavra não é sincera... São só pequenas mentiras par agradar. Eu me cansei de fazer isso... É incrivelmente ruim gostar tanto de alguém e saber que esse alguém não sente o mesmo por você. 


_Talvez fosse diferente se você dissesse a ela como se sente_ Selena sugeriu.

_Tarde demais pra isso_ eu respirei fundo.

_Joe, por favor...

_Tudo bem Selena, eu vou falar com ela_ garanti_ porque eu sou um grande idiota e a amo demais pra lhe dar as costas. 

Eu vi uma pequena lágrima escorrer pelo canto do olho de Selena, ela era minha amiga também, ela fora a primeira a saber como eu me sentia sobre Demi. Eu não queria estragar a felicidade dela com meus problemas... Estava contente por ela ter uma sorte melhor que a minha... Ela e meu irmão eram perfeitos um pro outro.


_Tranque a porta quando sair_ eu pedi passando por ela. 


Enquanto caminhava até a casa de Demi eu respirei fundo algumas vezes, não era um caminho longo, sempre fomos vizinhos. Era mais difícil lhe dar com isso a vendo todo dia tão perto. Mais Selena tinha razão... Demi não tinha culpa, o único culpado era eu por ficar criando esperanças inúteis. 

Quando cheguei à porta do quarto ela estava encolhida na cama... Usava um short preto curto e apertado, uma blusa de mangas compridas que ela puxava até cobrir as mãos e ficava remexendo no pano. Ela sempre fazia isso quando estava nervosa. Ela estava agarrada ao travesseiro, os cabelos estavam um pouco molhados e soltos, cobrindo um pouco o rosto... Mais não suas lágrimas. 

Ela estava tão linda... Como eu poderia não amá-la? Como poderia sentir raiva de algo tão belo?


_Selena disse que queria falar comigo_ eu disse, meu tom de voz era baixo, mais pareceu alto no silencio. 


Ela ergueu o rosto ao ouvir minha voz e meu coração bateu ainda mais forte... A expressão de tristeza no rosto dela era de cortar o coração. Era um pecado deixarem um anjo sofrer daquele jeito... Como David tivera coragem de traí-la? Quem precisava de algo a mais tendo ela ao seu lado?


_Queria sim_ ela concordou, sua voz estava rouca. 

Eu esperei que ela dissesse mais alguma coisa, não seria bom se eu tivesse que começar a falar... Vê-la naquele estado já estava me torturando o bastante.

_Me desculpa_ ela disse se desmanchando em lágrimas_ eu não queria ter dito aquilo... Não queria ter acusado você. É que eu estava zangada, magoada_ era difícil entender o que ela dizia em meio ao choro, mais foi o suficiente pra sumir com minha raiva, eu nunca resistia. 

Eu atravessei o quarto enquanto ela ainda falava, me sentei na cama e a abracei apertado, a puxando pra mim... Ela se agarrou a mim com força, escondendo o rosto em meu peito. Eu queria poder arrancar a tristeza do coração dela, eu já estava acostumado a desilusões, ela não. 


_Ta tudo bem Demi_ eu disse_ não precisa se desculpar, sei que foi da boca pra fora.

_Não queria ter magoado você_ ela disse_ eu só queria desaparecer.

_Shh, ta tudo bem agora, já passou_ eu sussurrei em seu ouvido_ não estou com raiva de você... Vamos esquecer ta bem? 


Ela concordou, fazendo um lindo biquinho como uma criança pequena... A minha pequena. 


_Você precisa descansar_ eu sussurrei um tempo depois_ deve estar cansada.

_Não vai embora_ ela pediu me agarrando com mais força quando tentei me afastar_ não quero ficar aqui sozinha. 

_Não vou a lugar algum se você não quiser_ eu garanti a ela. 


Ela se aquietou um pouco mais quando eu disse que ficaria... É, eu era mesmo um masoquista, mais o que eu devia fazer? Deixá-la sozinha? Eu a amava demais pra isso. 

Eu deitei na cama, e ela se deitou do meu lado, se aninhando em meu peito, me abraçando com força. 

Era incrivelmente bom sentir o calor do corpo dela tão próximo ao meu... Eu não podia evitar... Podia sentir meu coração bater mais depressa dentro do peito. Era o que acontecia sempre que estava perto dela. 


_Esta nervoso?_ ela perguntou de repente, depois de algum tempo em silencio.

_Porque pergunta?_ a olhei de lado, ela entrelaçou sua mão na minha brincando com meus dedos.

_Seu coração_ ela sussurrou_ ta acelerado. Você só fica assim quando ta nervoso... Ou com raiva. 

Ela esquecera de outra situação importante... Quando eu estava com ela.

_Eu estou bem_ foi só o que respondi. 

_Eu gosto do som do seu coração_ ela murmurou_ me acalma. 

Silencio outra vez... Senti que aos poucos as lágrimas dela iam cessando, o coração se acalmando, a respiração ia voltando ao normal. A dor ia diminuindo aos poucos conforme os minutos passavam... Era sempre assim.


_Sabe, eu devia ter escutado você_ ela disse_ tentou me avisar sobre o David... Agora entendo porque não gostava dele. 

_Você não tinha como saber Demi, nem eu sabia_ afirmei.

_Mais você disse pra mim... Todos disseram que ele não era confiável e eu simplesmente não acreditei. 

_O amor cega agente_ murmurei, eu sabia bem o quanto.

_Eu não o amo_ ela disse agora um pouco zangada.

_Você diz isso porque esta com raiva_ eu argumentei embora quisesse muito que aquilo fosse verdade. 

_Eu vou esquecê-lo_ ela me garantiu_ não quero chorar por causa dele.


E eu não queria que ela chorasse por ele... Eu só ficaria satisfeito quando ouvisse ela dizer que não o amava e sentisse que era verdade. Agora ela estava com raiva, era fácil dizer que não... Mais não era verdade, ela gostava dele, ainda. 


_Eu devia ter ouvido a minha mãe_ Demi murmurou.

_Como assim?_ perguntei.

_Ela sempre me disse que eu deveria namorar você, que ela não gostava de David_ respondeu_ eu devia tê-la ouvido, seria tudo mais fácil.

_Mais fácil?_ questionei curioso.

_É_ deu de ombros e olhou continuou a encarar nossas mãos juntas_ você é meu amigo, me entende... Nós gostamos das mesmas coisas e sei que você nunca me magoaria. 

_Não se pode estar numa relação só pó conveniência Demi, porque seria mais fácil_ eu disse_ pra um relacionamento dar certo tem que ter amor. 

_Mais eu te amo_ ela sussurrou bem baixinho.

Eu sorri de lado fitando o rosto envergonhado dela _Não o bastante_ disse com um suspiro.


Ela não disse nada, só se escorou no cotovelo e ficou me olhando... Eu retribui seu olhar, prendendo seus olhos castanhos nos meus. Ela parecia querer me dizer alguma coisa. 

_Eu sinto muito_ ela disse um tempo depois ainda me olhando. 

_Você não tem que se desculpar comigo Demi_ eu disse_ você não fez nada. 


Só partiu meu coração centenas de vezes sem nem mesmo perceber. Mais não era culpa dela... Nunca foi. 

Ela voltou a se deitar, entrelaçando nossas mãos de novo e escondendo o rosto. 


_Você devia dormir_ eu disse a ela_ deve estar cansada.

_Eu queria ver o eclipse_ ela falou com um meio sorriso_ mais estou com sono.

_Pode ver da próxima vez_ garanti a ela.

_O próximo é daqui a cem anos Joe_ ela me lembrou.

_Eu sei_ dei de ombros_ eu vou estar mais maduro e você vai ser uma velhinha caquética. 

_Velhinha caquética?_ ela riu e me deu um tapa_ muito engraçado. 

_Mais é verdade_ eu zombei.

_O velho caído vai ser você ok? Esqueceu que é mais velho que eu?_ me mostrou a língua.


Eu apenas sorri pra ela satisfeito... Foi muito bom vê-la sorrindo. Afinal era o aniversário dela e ela devia estar feliz, não chorando por alguém que não merecia. 


_Boa noite Joe_ ela sussurrou se aconchegando em meus braços.

_Boa noite minha pequena_ dei um pequeno beijo no topo de sua cabeça_ tenha bons sonhos. 


Ela sorriu pra mim e fiquei observando enquanto ela fechava os olhos e adormecia nos meus braços.

Minha pequena, ela adorava quando eu a chamava assim. 

E eu percebi que não importava se ela não me amasse do jeito que eu esperava... O importante era que éramos amigos e ela gostava de mim, estaria sempre comigo e eu com ela. 

Era doloroso... Mais eu podia conviver com isso. Qualquer coisa pra vê-la sorrir. 



Continua...

Divulgando :


Jemi- My Life With You

Bjinhooooooooooos :*


14 comentários: