terça-feira, 28 de agosto de 2012

Twenty One



I've never opened up to anyone
So hard to hold back when I'm holding you in my arms
We don't need to rush this
Let's just take it slow ♫♪


Durante todo o dia eu havia tentado não pensar, mas isso nunca deu muito certo pra mim e dei por mim durante todo o tempo lembrando da noite passada e também das coisas que Peter me dissera. Quando voltei para casa o medo que eu sentira quando acordei tinha sumido e eu estava decidido, sabia o que tinha que fazer. Conversei com Demi, disse tudo que sentia e em nenhum momento menti ou tive dúvidas, eu realmente estava disposto a tentar.
__O que acha de jantarmos?__ ainda estávamos sentados no sofá quando tive a ideia de levá-la para jantar.
__Tânia fez ensopado__ Matt murmurou de cara feia, aparentemente ele não percebera que eu não estava falando com ele__ odeio ensopado, agente podia pedir uma pizza ou coisa assim.
__Batata frita__ Manuela sugeriu sorrindo.
__E hambúrgueres__ Matt acrescentou.
__E sorvete__ Manuela completou.
Eu e Demi nos entreolhamos, estava pronto para dizer a eles que eu ia sair para jantar com Demi quando ela me interrompeu.
__Podemos sair outra noite__ ela disse sorrindo__ não tem problema, vamos fazer a vontade deles hoje.
__Tudo bem, se você acha melhor. 

Fizemos então uma espécie de piquenique à luz do luar e a beira da piscina. Forramos uma toalha no chão, pedimos pizza, batata frita, hambúrgueres e sorvete exatamente como as crianças queriam e nos sentamos para comer juntos enquanto eles contavam como tinha sido seu dia. Manuela contou sobre as brincadeiras que tinha feito com Demi durante todo o dia e como tinha se divertido, Demi apenas fez uma careta engraçada enquanto ela falava e eu tive que rir, devia ter sido um dia e tanto pra ela, mas até do que fora pra mim. Quando terminou o discurso, Manuela foi sentar-se no colo de Demi enquanto mordia uma batata frita.

__Foi um dia divertido o de vocês__ comentei sorrindo.
__Pelo menos pra ela__ Demi riu dando um gole no refrigerante__ minhas pernas estão doendo até agora. De onde tira tanta energia assim em princesa? Precisa me emprestar um pouco.
__É pelos legumes que a Tânia me obriga a comer__ ela murmurou distraidamente__ ela diz que me deixam forte.
__Preciso comer mais legumes então.
Depois Matthew começou a falar sobre a garota que gostava, a tal Michele.
__Ela adorou o presente Demi__ Matthew disse todo sorridente__ obrigada.
__Fico feliz por ter ajudado.
__Então você já se declarou pra ela?__ eu perguntei curioso__ já se beijaram?
__O que? Não, eu... Hã... __ ele começou a gaguejar e corar.
__Na ultima vez que conversamos você disse que ia enfrentar seu medo e dizer a ela o que sentia__ o lembrei__ o que aconteceu? Você estava confiante, está esperando o que Matt?
__Eu sei lá__ ele fez careta__ não é tão fácil assim.
__Eu sei que não é, uma das coisas mais difíceis da vida é conseguir expressar seus sentimentos pra alguém__ e como sabia disso, Demi me olhou de lado enquanto eu falava__ mas você tem que arriscar, vale a pena. 

De repente tive uma ideia para incentivar Matthew e sorri.
__Que tal um pequeno incentivo para que você se declare a sua garota?
__Do que está falando?__ ele me olhou desconfiado.
__Se você se declarar a Michele até o fim da semana, eu pago as suas aulas de direção...
__Eu não preciso de aulas de direção__ ele me interrompeu.
__Deixa eu terminar__ revirei os olhos__ pago as aulas de direção para você finalmente tirar sua carteira e te compro de presente um carro novinho, o que você quiser. Acho que vai precisar para levar sua namorada pra sair, isso... Se conseguir falar com ela claro.
__Você ta brincando?__ ele arregalou os olhos__ isso é sério mesmo? De verdade?
__Uma promessa, mas só se você falar com ela até o fim da semana.
__Eu topo, concerteza__ apertamos as mãos para fechar o acordo__ vou conseguir uma namorada e um carro novo, o Diogo precisar saber disso.
__Ok, vai contar pra ele então__ eu disse__ e leve sua irmã junto.
Ele não reclamou, pegou Manuela do colo da Demi e entrou em casa todo contente. Ia ser um dinheiro bem gasto aquele.
__Vai mesmo comprar um carro pra ele?__ Demi perguntou quando ficamos sozinhos.
__Matt é um bom garoto, ele merece__ dei de ombros e me deitei na toalha encarando o céu. Os únicos momentos em que Matt se comportava mal era quando me desafiava, quando queria me chamar a atenção, fora isso ele era o filho perfeito, tinha muitos amigos, era estudioso, respeitava todo mundo, exceto eu é claro, mas isso também estava mudando__ acha que é loucura minha?
__Não, eu só não esperava por essa, mas gostei do que fez.
__Eu sei ser legal quando quero__ brinquei e ela riu__, mas então... Me conta mais um pouco sobre você.
__Pensei que já soubesse tudo sobre mim__ ela disse__ não tem a minha fixa?
__Coisas triviais, eu já expliquei... Quero te conhecer melhor, me diz, você tem irmãos?
__Não, eu sou filha única__ ela se inclinou um pouco pra trás, meio deitada e meio sentada__, mas tive muitos primos e esses primos tiveram muitos filhos, não passei minha infância sozinha, e também banquei muito a mãe ao longo dos anos, por isso tenho experiência. As pessoas da minha família adoram fazer filhos.
__Eu nem imagino porque__ murmurei e rimos.
__E você, tem irmãos?
__Tenho um irmão mais velho, o Kevin. Ele devia herdar a JI no meu lugar, mas nunca se interessou pelos negócios da família então sobrou pra mim. Meu pai surtou quando o Kevin disse que não queria nada com a JI, mas como tinha outro filho acabou superando.
__E onde está o Kevin agora?
__Na Inglaterra curtindo a vida com a esposa Danielle e a filha Agatha.
__Ele é o filho esperto da família então?
__Basicamente. 

Kevin fez aquilo que eu não tive coragem. Ele enfrentou o meu pai e impôs a sua vontade, fez aquilo que queria, que sonhava. Mas no fim das contas eu sabia que tinha feito à escolha certa, eu gostava do meu trabalho, ganhava muito bem e podia dar tudo aos meus filhos, a minha vida era boa, só seria perfeita se minha esposa não tivesse morrido, mas eu estava disposto a superar isso.

__Você estava procurando emprego quando eu te conheci__ comentei__ estava tentando trabalhar como o que? Aposto que não era como babá.
__Não mesmo__ ela sorriu__ eu estava procurando emprego como secretária, mas era mais porque precisava de dinheiro do que porque era o que eu realmente queria fazer.
__E o que você queria fazer?
__Você deve ter visto na fixa que eu fiz faculdade de jornalismo e fotografia__ ela comentou__ eu queria trabalhar como fotógrafa, eu adoro tirar fotos, eu tiro foto de tudo que acontece comigo, o tempo todo. Já levei bronca de muitas pessoas por tirar algumas fotos constrangedoras, mas eu adoro.
__Nunca vi você tirando foto nesse tempo que está aqui.

__É porque não tenho mais minha câmera__ ela explicou__ eu tinha uma câmera profissional, mas quando o meu casamento não deu certo, eu e minha mãe ficamos muito endividadas e eu perdi meu emprego, tive que vender muitas coisas para pagar as dívidas que tínhamos, e minha câmera foi uma dessas coisas. Foi como vender os meus olhos sabe? Eu via tudo pela lente daquela câmera... Mas já superei.
_Sinto muito, deve ter sido difícil.

__Foi, mas como disse, eu já superei.
__Agora que tem um novo emprego porque não compra uma nova?
__Estou usando o dinheiro para pagar contas e gastos e guardando o resto para compensar aquela poupança que eu dispersei no preparo do casamento. Não preciso de uma câmera agora. Mas falando em emprego... Agora que estamos, digamos... Saindo__ ela fez uma careta engraçada__ acho que fica estranho você me pagar para cuidar dos seus filhos.
__Eu não acho estranho. Muitos caras por aí tem casos com as babás, não é um grande problema.
__Você está muito engraçadinho hoje__ ela riu e revirou os olhos__ o que foi que te deu?
__Eu não sei__ respirei fundo e sorri para as estrelas__ estou me sentindo... Diferente.
E estava mesmo, parecia que um pouco do peso que eu tinha nas costas durante esses anos tinha sumido. Foi só uma parte, mas eu já me sentia mais leve e com uma estranha vontade de sorrir. Acontecia sempre que eu olhava pra ela, era uma sensação nova pra mim, mas eu estava gostando daquilo.

__Você fica muito mais bonito quando sorri, alguém já lhe disse isso?__ Demi perguntou me observando.
__Não ouço muito isso, acho que é porque não sorrio muito.
__Mas é verdade, você tem um lindo sorriso.
__Não mais bonito que o seu__ desviei os olhos das estrelas para fitar o rosto dela e voltei a me sentar__ eu estou realmente me sentindo muito bem Demi, e é tudo graças a você.
Ela me olhou com um lindo sorriso no rosto e os olhos brilhando, percebi que ela queria dizer algo, mas não sabia o que. Mas eu não precisava que ela dissesse nada, só queria que ela soubesse que era a responsável pelas minhas mudanças, pelas mudanças para melhor e que eu era agradecido a ela por isso.
__Posso te dar um beijo?__ perguntei em um sussurro, fitando seus lábios. Eu definitivamente estava diferente, mas nunca antes me senti tão eu mesmo quanto me sentia agora.
__Sim__ ela concordou timidamente.

Inclinei-me em sua direção e juntei nossos lábios num delicado beijo, calmo, sem pressa. Tínhamos combinado ir devagar, fazer um teste, arriscar um pouco e naquele momento não tinha pressa, não precisava de mais nada, apenas um beijo. Não sei quanto tempo ficamos ali, só nos separamos um tempo depois quando o celular dela começou a tocar.
__Desculpe, é minha mãe, eu preciso atender.
__Não tem problema, eu vou lá em cima ver se Manuela já foi dormir.

Deixei-a para atender a sua ligação, pedi a Clarissa que arrumasse a bagunça que fizemos no quintal e fui ver como estavam às crianças. Manuela já estava dormindo, com o seu pijama, o dedo na boca, agarrada ao seu ursinho favorito. Era engraçado como Matthew fazia as coisas sem que pedíssemos quando estava interessado em alguma coisa. Fui até o quarto dele e bati na porta.

__Eu já pus Manuela pra dormir__ ele disse sorridente__ ela me fez cantar a música duas vezes.
__Ela gosta dessa música cada vez mais__ comentei e tirei uma nota do bolso, entregando a ele.
__Dinheiro?__ ergueu a sobrancelha__ vai me pagar agora para pô-la pra dormir? Esse é o trabalho da Demi não é?
__Não é isso pra isso engraçadinho__ revirei os olhos__ é pra você repor... Aquilo que desapareceu do seu quarto.
__Dez dólares não é o suficiente para repor o que sumiu__ ele disse fitando a nota e percebi que estava tentando me enrolar, tive vontade de rir, mas me segurei.
__Dez dólares dá muito bem para pagar o que sumiu e ainda sobra troco, espertinho.
__Como sabe o que foi que sumiu?__ ele me encarou confuso por um segundo até que finalmente percebeu e arregalou os olhos__ foi você. Você roubou minha camisinha... Porque roubou minha camisinha?
__Porque estava precisando e não tinha uma, foi uma emergência, não vai se repetir.
__Você precisou de uma camisinha? Você? Tem certeza? Por que... Quando... Como... Com quem você a usou?
Aquela sinceramente não era uma conversa que eu queria ter com Matthew, mas ele ia saber uma hora ou outra.

__Com Demi.
__Você e Demi transaram?__ ele praticamente gritou com o espanto.
__Fale mais alto__ disse debochado__ não precisa ficar assim tão espantado ok?
__Desculpa__ ele fez careta__ quer dizer que vocês dois estão... Namorando? Como isso aconteceu?
__Bem, é uma longa história, mas estamos tentando... Você se importa?
__Eu? Não__ ele sorriu__ fico feliz por vocês, já estava mesmo na hora de arrumar uma namorada. Era disso que você estava precisando para se livrar de todo o mau humor sabe? Um pouco de sexo.
__Hey moleque, mas respeito, eu sou seu pai.
__Era brincadeira__ ele riu__ sério... Espero que dê certo entre vocês dois, a Demi é muito legal.
__Obrigado e boa noite.
__Boa noite pai e, por favor... Não entre mais no meu quarto e compre suas próprias camisinhas. 
__Falando nisso... Desde quando têm camisinhas em?
__Ganhamos na escola, isso importa? Eu não quero ter essa conversa... É constrangedor.
__Tudo bem, só... Use com sabedoria. 
__Não se preocupe, não pretendo engravidar ninguém tão cedo. 
__Já disse para tomar cuidado com essa língua__ acusei, mas era brincadeira e estávamos nós dois rindo.
Deixei-o no seu quarto, depois fui desejar boa noite a Demi. Combinamos um jantar de verdade para amanhã a noite, só nós dois, nada de crianças ou batatas fritas e sorvete e então fomos para nossos quartos. 


Fim do Capítulo


Alice: Bem flor eu até poderia continuar a escrever mas naquela epoca eu tinha ajuda  principalmente a minha inspiração kk.ela não acabou ainda ia rolar muuuitaaaa eu tava super motivada a continuar a escrever mas eu vi não tava dando certo e acredite eu também me envolvi escrevendo ela.pode até ser que num futuro proximo mas só Deus sabe eu a reescreva bjs :).



15 comentários:

  1. lindooooooooooo !! ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    posta logooooooooo

    ResponderExcluir
  2. OWWWWN QUE FOFO *u* KKKK É TÃO LINDO VER O JOSEPH E O MAT SE DANDO BEM...AI POSTA LOGO VIUUUUUUUUUUU? RUM'
    BEIJONAS ;)

    ResponderExcluir
  3. lindooooooo... eu queria continuar lendo mas ta rolando umas coisas na minha vida q me deixaram longe por uns tempos, mas quando tudo se resolver prometo ler e comentar mtooooooo ok? perfeita essa fic bjs

    ResponderExcluir
  4. Amei o Capitulo!!!
    Deus te ouça!!!! Eu chorei no primeiro capitulo de tanta emoçao
    ~dramática eu? magina~ (Primeiro capitulo do blog)
    Eu meio que em todos os blog em que eu vejo e entro, eu vou direto pro primeiro post da história. é meio esquisito. mas vale a pena porque você pega a história desde o começo. hoje mesmo eu voltei nos seus primeiros posts, lá pra dezembro de 2011. eu li a "Jemi-Infinity" e a outra em que o Joe é lobisomem, tenho que admitir que eu choreeeeeeei litros nos ultimos capitulos dessa em que o Joe vira lobisomem.
    Você tem o link do blog da Cacau ~acho que é assim~?

    Amo seu blog <3
    XOXO
    Alice.

    ResponderExcluir