quinta-feira, 21 de junho de 2012

Capítulo 4


Dobrou a camisa com cuidado e colocou em cima do pequeno montinho com outras camisas igualmente bem dobradas. A mala estava um caos e ela duvidava que conseguisse achar qualquer coisa que fosse lá dentro. Separou as calças e bermudas jeans e as roupas íntimas, agora só precisava colocar tudo de volta na mala, de forma organizada, claro.
Observou a outra mala ainda fechada e suspirou pesadamente. No dia anterior ela e Joe tinham ido a sua antiga casa para a garota pegar mais uma mala de roupas e algumas outras coisas que ela tanto gostava no quarto e não queria deixar pra trás. Foram cedo e esperaram na rua detrás da casa até que o pai de Demi saísse e entraram rapidamente tomando cuidado para que os vizinhos não os vissem.
Ouviu o barulho de chave na porta e sorriu vendo Joe e Harte entrarem no loft. Eles sempre revezavam os passeios com o cachorro, alguns dias os dois iam juntos, outros iam sozinhos.


- Ei, meu amor! – Brincou com o cachorro que foi até ela abanando o rabo. – Gostou do passeio? – Perguntou com uma voz boba e Joe riu.



- Qualquer dia desse ele vai ter responder. – Falou brincalhão e a menina deu língua. – Amanhã é a sua vez de passear com o vira-lata! Hoje ele quase saiu me arrastando pelo parque, ele tá virando um monstro! – Reclamou indo até a cozinha.

- Ai, como você é fresco, Joe! O Harte mal fez quatro meses, né, meu anjo? – Sorriu para o cachorro deitado no sofá. – Ele ainda é um bebê! – Brincou terminando de guardar as roupas arrumadas na mala.


- Anjo e bebê são palavras que não combinam com esse animal, Demi! – Joe balançou a cabeça.


- Ai, larga de ser implicante, vai! – Ela se levantou encarando as costas do menino. – Eu bem sei que você também é louco por ele e adora acordar sentindo ele lamber seu rosto! – Brincou indo até a cozinha.
Joe se virou para responder alguma coisa, mas tudo que conseguiu foi engasgar com a água e se virar para a pia cuspindo o líquido que estava em sua boca ao perceber a roupa – ou a falta de roupa - de Demi. A menina usava apenas uma blusinha branca e uma calcinha larga com desenhos de estrelas.


- Wow! A água tá contaminada? – Demi perguntou assustada dando uns tapinhas nas costas do menino. Joe balançou a cabeça negando, mas evitou olhar novamente para a menina. – O que aconteceu, bobão? – Perguntou rindo e viu Joe olhar para o teto da cozinha e suspirar pesadamente. 


- Nada. – Falou em voz baixa e a menina deu de ombros e virou de costas caminhando pela sala.


- Joe, a gente precisa ir ao mercado. O leite tá acabando, o queijo tá passando da validade e não tem porcarias para comer. Preciso de chocolate. – A menina fez uma careta e Joe apenas resmungou alguma resposta enquanto olhava fixamente para o corpo da menina de costas para ele.
Observou o movimento que as pernas da garota faziam quando ela andava e quase pôde ouvir sua própria consciência lhe mandando desviar o olhar.
Ele nunca mais chamaria uma garota pra morar com ele, definitivamente não!


- Joe! – Demi chamou sua atenção e ele a olhou surpreso. – Espelho. – Ela mostrou o espelho que ficava no canto da sala. 


Ah, claro, ele esquecera do maldito espelho e agora sentia o rosto arder por ter sido pego olhando a bunda da própria prima.
- Hm... mercado. Sim, claro. Hoje à tarde a gente vai. – Tentou disfarçar a confusão que tinha se metido virando-se de costas pra menina e sentindo o rosto arder. Fingiu que arrumava alguma coisa na pia e ouviu uma risadinha baixa da menina um pouco antes da televisão ser ligada e o único som a ser ouvido era a musica do canal de clipes que Demi assistia.



# Flashback (14 anos antes)

- Joe. – Demi chamou enquanto a mãe passava shampoo em seu cabelo. O garoto olhou para ela se mantendo embaixo da água corrente. – Você tem, eu não. – Ela apontou o pênis do menino que estava igualmente nu.
Os dois haviam passado toda a manhã na piscina e agora estavam tomando banho para irem almoçar.
Emily riu baixinho olhando caridosa para Joe.


- Hm, isso é porque você é menina, e eu sou menino, Dem. – Joe explicou calmamente. Demi o olhou ainda sem entender e ele sorriu. – Meninas têm uma vagina, meninos têm um pênis. – Falou olhando rapidamente para Emily que parecia mais embaraçada do que ele mesmo.


- Eu não posso ter um também? – A menina perguntou de forma inocente fazendo os outros dois rirem abafados.


- Não, meu amor, você não pode. – Emily se intrometeu na conversa e Joe sorriu em agradecimento. 


- Não posso ser igual ao Joe? – A menina perguntou com os olhos enchendo de lágrimas.


- Não, mas é mais legal assim. – Joe sorriu carinhoso. – Se você fosse menino, a gente não ia poder ter filhos quando crescesse. – Fez careta vendo Demi sorrir.


Emily riu achando graça no que o menino dissera, mesmo sem saber se ele tinha falado sério, ou fora apenas uma brincadeira. Desligou o chuveiro e pegou sua filha no colo a enrolando em uma toalha, enquanto Joe fazia o mesmo.
Poucos minutos depois os dois estavam vestidos e sentados na cama enquanto a mulher penteava os cabelos de Demi e Joe esperava pela sua vez. Emily fazia uma trança cuidadosamente no cabelo da filha enquanto a observava brincar com os dedos do primo entrelaçados aos seus e ele acompanhar os movimentos graciosos dela com o olhar atento e um leve sorriso no rosto.
Quando terminou a trança de Demi, foi para o lado de Joe começando a pentear o curto cabelo do menino também, mas foi interrompida pela mão da garota que segurava em seu braço.


- Eu quero. – Falou mostrando a escova na mão da mulher e sorrindo. Quando o objeto foi entregue em suas mãos, ela começou a passar carinhosamente pelo cabelo de Joe.



# End of flashback

Demi lia atentamente uma revista, deitada no sofá de barriga pra cima, enquanto Joe estava sentado no chão encarando a televisão ligada em um programa de auditório. Vez ou outra seu olhar se desviava até as pernas descobertas da menina que estava concentrada demais para notar o desconforto do primo. 

- Publicidade é um curso legal. – Ela comentou vagamente puxando a atenção do primo para seu rosto. Ele concordou sem dar muita atenção. – Relações Públicas também parece ser interessante. – Falou pensativa ainda com o olhar preso no artigo da revista que falava sobre cursos de Comunicação.
O silêncio se instalou na sala por quase um minuto, e Demi bufou irritada.


- Você ao menos prestou atenção no que eu disse? – Perguntou abaixando a revista e olhando para Joe.


- Hm? – Ele perguntou confuso e a menina bateu a revista na cabeça dele, lhe arrancando uma careta.


- Droga, Joe! Eu aqui falando sobre uma coisa importante que envolve o meu futuro, e você aí, entretido com uma porcaria de programa de auditório. – Reclamou fazendo Joe se sentir aliviado. Se ela soubesse o que realmente o estava distraindo...


- Desculpa. – Falou com simplicidade e desligou a televisão. – Pronto, agora minha atenção é toda sua. – Falou calmo fazendo a menina sorrir.

Ela amava esses pequenos gestos dele, tão simples e tão adoráveis. 

- Eu ainda tô em duvida sobre o que eu quero fazer realmente. – Mordeu o lábio inferior observando a revista em seu colo. – Eu me identifico com algumas, mas não consigo escolher definitivamente.


- Já conseguiu eliminar algumas daquela sua lista de vinte cursos? – Joe perguntou rindo lembrando de quando a menina falava os vários cursos que gostava.


- Não eram vinte, eram nove! – Falou sem graça. – Na verdade mesmo, eu me identifico muito com Design, já li bastante sobre isso e é provavelmente o que mais me animou. 


- Então, qual é a duvida? – O menino arqueou a sobrancelha e ela riu.


- Não sei. – Admitiu botando uma mecha do cabelo atrás da orelha em sinal de nervosismo.
A campanhia do apartamento tocou e Joe fez careta sem querer se levantar.


- Eu atendo! – A menina falou animada se levantando fazendo o menino arregalar os olhos.


- Nem pensar! – Ele se levantou rapidamente. – Vestida desse jeito você não vai abrir a porta! – Caminhou até a menina que se virou de frente pra ele com os braços cruzados.


- E por que não? – Perguntou sorrindo de lado e caminhando de costas até a porta.


- Você tá só de calcinha, Demi! – Joe respondeu fechando a cara fazendo a menina sorrir ainda mais. 

Demi se virou de frente e correu até a porta tocando a maçaneta.

- Nem pense nisso! – Joe falou alto e correu, prensando a menina contra a parede e abrindo a porta.


- Fala, Joe. – Mark, o vizinho do garoto cumprimentou e Demi olhou pela fresta da porta.


- Iai, cara! – Joe respondeu soltando um pouco o braço que prendia a menina contra a parede. Olhou rapidamente para ela que soltou um "que gato!" inaudivelmente fazendo-o fechar a cara.


- Botaram essa conta de luz lá na minha porta, e é sua! – Falou simpático entregando uma conta para o garoto.


- Ah, valeu aí, cara! – Sorriu brevemente e ia fechar a porta quando Mark resolveu falar novamente.


- Cara, você sabe de uma garota nova que anda circulando por aqui? – Perguntou sorrindo e Joe arqueou sobrancelha. Não sabia de nenhuma garota nova. – A vi outro dia de relance, aqui nesse andar mesmo, tava vestida com uma camisa roxa com uns desenhos estranhos, e cara, ela era muito gata! – Sorriu.
Demi prendeu o riso sabendo que a tal garota era ela, mas não lembrava de já ter visto Mark em lugar algum. Joe apertou ainda mais o braço contra a garota também sabendo que era dela que Mark falava.


- Hm... não vi ainda, cara! Mas vai ver ela nem mora por aqui. – Deu de ombros. – Olha, eu tenho que ir! – Falou rapidamente e sorriu para o garoto que fez um breve aceno e se virou em direção ao seu apartamento. 


- Ficou maluca? – Joe perguntou fechando a porta e ainda prensando a menina contra a parede.


- Não me importaria em atender a porta pra ele vestida assim. – Demi respondeu calmamente. – E aposto que ele também não se importaria. – Sorriu de lado.


- Você não seria doida. – Joe respondeu irritado.


- Quer apostar? – Perguntou provocativa encostando seu corpo no do menino.


- Não, não quero apostar. E se eu souber que você atendeu a porta pra quem quer que seja, vestida dessa forma, não queira saber as conseqüências. – Se afastou um pouco da menina quando sentiu seu corpo gelar com o contato dela.


- Hm.. talvez eu queira sim! – Respondeu rindo passando os braços pelo pescoço de Joe.
O menino engoliu em seco tentando ignorar a reação imediata que seu corpo teve com todo aquele contato. Suas mãos não se decidiam entre afastar o corpo da menina ou puxá-lo ainda mais pra perto. 


- Você sabe que eu não tenho olhos pra nenhum outro garoto além de você, não sabe? – A menina perguntou baixo depositando um beijo no queixo dele. 

A respiração falha entregava o nervosismo do garoto.

- Dem, isso não é... - Tentou falar, mas a menina lhe deu um selinho rápido.


- Esquece qualquer outra coisa que não seja o contato dos nossos corpos e o que você tá sentindo agora. – Demi falou tranqüila acabando com o pouco espaço que ainda restava entre o corpo dos dois. 


Joe respirou fundo e antes que se decidisse entre afastar a garota, ou agarrá-la ali mesmo, Demi mordeu seu lábio inferior fazendo-o realmente esquecer de qualquer outra coisa. Pressionou a garota contra a parede e selou seus lábios aos dela sentindo mais uma vez a resposta rápida do seu corpo.
Ouviu Demi soltar um gemido baixo quando fez o contorno de seus lábios com a língua, e ela abriu a boca fazendo-o sentir o gosto doce que vinha da boca dela e que ele nem lembrava mais. Apertou as mãos em sua cintura tentando aliviar um pouco a tensão que percorria seu corpo e sentiu a menina morder novamente seu lábio com força. Antes que Joe tivesse tempo para pensar no que estava acontecendo, suas mãos entraram por baixo da blusa que ela vestia, acariciando todas as partes alcançáveis do corpo da menina.
Demi ofegou sentindo as mãos de Joe em seu corpo. As mãos quentes dele percorriam sua cintura, sua barriga e suas costas de forma ágil, enquanto ela fazia carinho no cabelo dele, sentindo suas línguas brincarem como se fossem intimas.
O beijo foi perdendo velocidade ao mesmo tempo em que as mãos de Joe se acalmavam na cintura da menina e os dedos de Demi se perdiam nos cabelos dele.
Ele mordeu o lábio da menina levemente puxando-o um pouco e voltou a beijá-la sem vontade alguma de se afastar e pensar no que tinha acabado de acontecer. Demi sorriu descendo uma das mãos até o braço de Joe e o apertando carinhosamente. Ela precisava de ar e sabia que ele também, mas alguma força, muito maior que a vontade deles, os impedia de se desgrudarem um milímetro que fosse.

Aos poucos o beijo foi se tornando selinhos demorados, beijinhos na bochecha e no queixo, até os dois se afastarem um pouco e se encararem ainda sentindo o gosto de suas bocas se misturarem.
Demi sorriu sem jeito, ainda sentindo o corpo completamente eletrificado pelo contato com o corpo do primo. Tirou as mãos do pescoço dele e passou a mão pelo cabelo sem saber o que dizer. Ela sentira falta dos beijos de Joe, das mãos ágeis dele tocando seu corpo e de como ela se sentia quando estava nos braços dele. Ela não saberia comparar a sensação de ter qualquer outro garoto tocando seu corpo, ela apenas sabia que quando estava nos braços de Joe aquilo parecia certo, e ela gostava da sensação de posse, de saber que ela era dele.
Joe piscou os olhos com força ainda sentindo a boca latejar e implorar por mais contato com a boca da menina. Se alguém perguntasse pra ele o que tinha acabado de acontecer, ele não saberia explicar, na verdade ele mal sabia qual era seu nome naquele momento. Seu corpo ainda estava colado ao dela e suas mãos ainda estavam na cintura desnuda da menina. A única coisa que ele sabia era que fazia tempo desde a ultima vez que aquilo acontecera, e ele não se lembrava de que era tão bom.


- Hm... não foi tão embaraçoso da ultima vez. – Demi comentou mordendo o próprio lábio. Mais uma vez a tensão entre os dois era enorme e ela tinha medo de quebrá-la. 


- É, não foi. – Joe concordou tirando as mãos da cintura dela e passando pelo cabelo. Suas mãos formigaram com a falta de contato e ele se sentiu frustrado por todo seu corpo estar conspirando contra ele. Ele abriu a boca pra falar mais alguma coisa, mas foi interrompido.


- Se você pedir desculpas, eu vou te bater. – Demi falou num tom brincalhão. – Eu beijei porque eu quis e você não me forçou a nada. – Completou vendo Joe sorrir.


- Hm... acho que a gente ainda precisa ir ao mercado, certo? – Mudou de assunto se afastando da menina que concordou vagamente com a cabeça. – Eu vou tomar um banho, e a gente vai. – Falou apontando para o andar de cima do loft.


- Erm... eu vou tomar banho também. – Demi sorriu fraco. Antes que conseguisse entrar no banheiro ouviu Joe a chamar já no andar de cima.


- Dem, você... erm... – Passou a mão pelos cabelos fazendo careta. – Andou, hm... praticando? – Apontou a parede ao lado da porta onde os dois estavam anteriormente.
A menina sentiu o rosto arder e balançou negativamente a cabeça.


- Ah! – Joe exclamou se sentindo um idiota por ter perguntado aquilo. – Ok, então! – Falou por fim e entrou no banheiro antes que falasse mais alguma coisa que não devia.
Demi ficou alguns instantes parada na porta do banheiro sorrindo e olhou novamente para a parede ao lado da porta. Ela podia praticar sempre que ele quisesse.





Continua...

16 comentários:

  1. PERFEITO
    POSTA LOGO
    ri muito do Flashback
    POSTA LOGO
    BeiJemi

    ResponderExcluir
  2. NOSSA! Essa é a minha fanfic predileta no momento. Só consigo dizer Awnnnn enquanto estou lendo...

    Posta logo :)

    ResponderExcluir
  3. Morri com o flashback, KKKKK'
    Tá mais que perfeito!
    Posta logo!! ;*

    ResponderExcluir
  4. Estou amando a história, muito perfeita!
    Xoxo

    ResponderExcluir
  5. Eu to amando sua fic! Nossa, muito perfeita!! Posta logo pf! :)

    ResponderExcluir
  6. ei olha eu akiiii.. desculpa sumiço.. ñ foi culpa minha.. meu not morreu =( e eu tava sm o link do seu blog.. mas li todoooooos os capitulos pra recuperar o tempo.. e OMG TO AMANDO ESSA FIC MTO PERFEITA

    ResponderExcluir