terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Chapter Seventeen

Demetria sorriu pra Selena enquanto deixava a pequena bolsa com suas coisas cair sobre a cama... Depois do pedido de Joseph, de que ela desse um jeito de dormir fora de casa sem que Nicholas desconfiasse ela percebera que a única forma de fazer isso era com a ajuda de Selena. Então, ela mesma se convidou pra uma noite de garotas na casa da amiga... Mais estava óbvio que as intenções eram outras.

_Obrigada por me deixar vir_ Demetroa agradeceu.

_Tudo bem, mais agora me diga... O que ta rolando?_ Selena questionou. 

_Você estava certa, sobre mim e Joseph_ Demetria disse sem rodeios_ esta mesmo acontecendo algo entre nós dois.

_Eu sabia_ Selena sorriu contente_ vocês estão juntos?

_É complicado_ fez careta_ mais ele quer me encontrar hoje a noite e eu não tinha outra forma de fazer isso sem sua ajuda. Eu sei que o que estou fazendo errado, mais eu vou terminar meu noivado com Nicholas, só preciso de tempo e...

_Hey Demi_ Selena ergueu a mão pra pará-la_ não precisa se explicar pra mim... Ta tudo bem. 

Demetria suspirou aliviada, realmente não queria ter se explicar embora sentisse que devia... Então sem mais perguntas, Demetria apenas esperou que chegasse a hora do encontro com Joseph. As cinco da tarde em ponto ela já o esperava no lugar marcado e ele não se atrasou, chegou rápido com seu cavalo e deu um sorriso nervoso.
_Então você resolveu vir_ ele murmurou.

_É, esta na hora de botarmos tudo em pratos limpos_ ela concordou.

_Ótimo, então venha comigo_ ele pediu.
 

Demetria estava apreensiva enquanto o seguia pela floresta, mais não demorou pra descobrir aonde estava indo... Pra casa de Joseph. Ficou se perguntando secretamente o que iriam fazer lá... O que ele pretendia lhe mostrar. Quando finalmente chegaram, eles deixaram os cavalos no estabulo, Joseph segurou a mão de Demetria e a guiou até a frente da casa.

_Joseph o que estamos fazendo aqui?_ ela perguntou aflita.

Ele segurou as duas mãos dela e olhou bem dentro de seus olhos.

_Antes de qualquer coisa Demi, preciso que você saiba que eu te amo_ Demetria estremeceu dos pés a cabeça, era a primeira vez que Joseph dizia aquilo de tal forma, com todas as palavras e tanta sinceridade.

_Joseph você esta me assustando, o que esta havendo? Porque esta falando desse jeito?_ ela perguntou aflita.

_Eu só queria que você soubesse o quanto é importante pra mim... Sei que as coisas vão mudar depois que ouvir o que tenho pra dizer.

_Joseph não faça isso_ Demetria olhou asssustada pra Paul parado na porta da frente.

_Joseph eu não...

_Escuta_ ele pediu ignorando as súplicas do pai_ você se lembra da história da fera?
 

_Como vou esquecer? Me lembram disso todo o tempo, inclusive você_ ela respondeu aflita_ o que isso tem haver com...

_Só escuta_ ele a interrompeu apressado_ a história é verdadeira Demi... A fera existe de verdade.
 

Fez-se um silencio incomodo enquanto Demetria olhava nos olhos de Joseph.

_Eu sou a fera Demi_ ele sussurrou apertando a mão dela com mais força_ eu sou o lobisomem.

Demetria nada disse, continuou a encará-lo... Pode ver nos olhos dele que não estava brincando, que ele acreditava sinceramente naquilo que estava confessando, mais ela não soube como responder aquilo... Só podia ser algum tipo de piada.

_Joseph pare com isso_ Paul insistiu_ essa brincadeira não tem graça.
 

_É verdade Demi_ ele continuou ignorando o pai_ eu sou a fera e vou me transformar esta noite... Por isso pedi que viesse até aqui.

_Hoje é lua cheia_ ela murmurou um pouco distante, agora entendia porque ele escolhera aquela noite.

_Sim... Sei que não acredita em mim, por isso quero que veja.
 

_Joseph isso é loucura_ Paul o repreendeu_ você vai machucá-la.

_Vem comigo_ ele pediu a arrastando pela mão.

Demetria estava confusa, não sabia como reagir então se deixou ser levada por Joseph pra dentro da casa... Paul os seguiu completamente nervoso, achando aquela atitude do filho uma completa loucura, se Demetria presenciasse o que estava prestes a acontecer o segredo de Joseph estaria comprometido pra sempre e a vida dele estaria em risco... Ele ia morrer.
 
Joseph a guiou por um lance de escadas até chegar ao porão... A porta era de ferro, com barras, como a grade de uma prisão... Ele abriu a porta e soltou a mão de Demetria.

_Fique aqui_ ele pediu e segurou o rosto dela entre suas mãos_ eu te amo.

Antes de entrar no porão ele lhe deu um beijo cheio de paixão... Sabia que ia se arrepender do que aconteceria a seguir mais não podia parar agora. Ele caminhou até as correntes e Paul foi até ele.

_Joseph, pense no que esta fazendo_ ele pediu.

_É tarde demais pai... Vai começar em breve... Só me prenda e mantenha ela longe de mim_ Joseph implorou_ eu preciso disso, por favor, me ajuda... Só faça.
 

No fim das contas Paul não contestou, não havia mais tempo pra isso... Mesmo contrariado ele começou a acorrentar o filho com as correntes de prata, como fazia em todas as noites de lua cheia... Demetria olhava tudo assustada, sem conseguir compreender o que estava acontecendo... O que eles estavam fazendo?

_Porque esta prendendo ele?_ ela perguntou ameaçando se aproximar.

_Fiquei ai senhorita Lovato, não se aproxime_ Paul ordenou.

Ele terminou de prender as correntes nos braços e pernas do filho, depois olhou em seus olhos.

_Que Deus nos ajude_ ele sussurrou.

Paul se afastou do filho e saiu do porão, trancando o portão de ferro logo em seguida e indo pra junto de Demetria que observava estática a alguns passos dali. O olhar dela e de Joseph se encontraram... Ele sussurrou um eu te amo pra ela antes de seus olhos ficarem completamente vermelhos. 

_Senhor Jonas_ ela murmurou assustada_ o que...

_Shh_ ele pediu_ só olhe criança... Só olhe e fique longe da grade.
 

De repente Joseph começara a se contorcer de dor, se inclinando pra frente e gritando como se tivesse levado um soco no estomago. Demetria arregalou os olhos preocupada com a dor dele e pensou em chegar mais perto, mais as mãos fortes de Paul a impediram de sair do lugar. Os gritos de agonia de Joseph ficaram mais altos e insuportáveis, antes que pudesse perceber Demetria estava chorando silenciosamente, sem entender o que estava havendo.
 
Joseph podia sentir todos os ossos de seu corpo de deslocando, se esticando... Parecia que estavam todos quebrados. Ele não queria que Demetria o visse de tal forma mais era preciso. Porém logo ele se esqueceu da presença dela ali, se esquecera do amor que sentia e do medo de perdê-la... De repente ele só podia se concentrar na dor, o fogo insuportável pelo seu corpo.
 
Demetria observou assustada ele mudar bem diante de seus olhos... As roupas que ele vestiam se rasgaram, os membros se alongaram tornando-se maiores, garras surgiram em suas mãos e seu rosto se esticou pra frente como o de um lobo.

_O que... O que... _ ela não conseguiu terminar sua frase, estava horrorizada demais pra dizer qualquer coisa.

_Esta quase acabando_ Paul murmurou.

Mais um longo minuto de dor e Demetria sufocou um grito de horror ao ver que o homem por quem estava apaixonada já não existia mais, só havia um monstro em seu lugar... Uma criatura horrenda e aterrorizante. A fera se aproximou da grade, e conforme ele chegava mais perto ela andava pra trás, até que ele forçara as correntes, tentando se soltar e um rugido assustador escapou por sua garganta... Demetria caiu pra trás sentada.

_Meu Deus_ ela exclamou assustada, sem conseguir respirar direito.
 

Um uivo alto e ensurdecedor ecoou quebrando o silencio, a fera tentava forçar as correntes e se soltar, e a cada minuto as batidas do coração de Demetria iam ficando mais falhas... Então era real... Não era uma história... A fera existia de verdade.

_Vamos sair daqui_ Paul disse a segurando pelos braços e a puxando pra cima.

_Joseph_ ela sussurrou estendendo a mão na direção dele.

_Não é o Joseph senhorita Lovato_ ele resmungou as pressas_ ele não esta mais ai... Ande, vamos sair daqui.
 

Paul arrastou Demetria escada a cima, ela tropeçava nas proprias pernas e chorava em silencio, completamente chocada... Quando chegaram a sala Paul a largou e ela se deixou cair no sofá, o olhar distante e os pensamentos incoerentes.

_O que foi aquilo?_ ela perguntou com a voz falha_ como isso é possivel? Como ele... Como... Como pode ser real?

_É muito real senhorita Lovato_ ele garantiu_ e uma história muito longa.

O instinto dizia a Demetria pra sair correndo dali, mais ela ainda podia ouvir o monstro preso lá em baixo e queria saber como aquilo era possivel... Em meio as lágrimas lançou a Paul Jonas um olhar decidido, ela queria saber... Queria saber tudo.

_Me conte_ ela ordenou_ eu quero saber como diabos aquilo é possivel.

Ele forçou um sorriso_ acredita em magia senhorita Lovato?_ ele perguntou.

_Acho que depois de hoje não duvido de mais nada_ a voz dela ainda falhava, o coração batia tão rápido que estava lhe doendo os ouvidos_ não duvido de mais nada.

Paul entregou a Demetria um copo de água, ela segurou com um pouco de dificuldade, ainda tremendo de medo... Então ele se sentou ao lado dela no sofá, fazia muito tempo que não contava aquela história pra ninguém... Era dificil pra ele. 

_Foi a muitos anos atrás_ Paul sussurrou, os olhos fixos na lua cheia lá fora_ eu tinha uma namorada, e era louco por ela. Seu nome era Aurora... Só que ela não era como as outras mulheres, ela era especial, tinha um jeito diferente de ver o mundo... Acreditava em coisas que eu pensava ser impossiveis, eramos muito diferentes.

_Que tipo de coisas?_ Demetria perguntou.
 

_Magia_ ele respondeu calmamente_ bruxas, feitiços... Monstros. Pra ela tudo aquilo era real.
 
_E você não acreditava?_ ela perguntou.

_Não, pra ser sincero ela me assustava as vezes_ ele deu um meio sorriso_ vivia agarrada com um livro esquisito e sinistro, e também dizia coisas que eu não entendia. Éramos muito diferentes.
 

Ele pareceu pensativo enquanto encarava a lua, mais um sorriso sincero surgiu em seu rosto de perente.

_Foi quando connheci Sarah, a mãe de Joseph_ ele explicou_ era a mulher mais linda que eu já vira na vida... Foi amor a primeira vista e ela sentia o mesmo por mim.
 

_Aurora não deve ter aceitado isso muito bem_ Demetria supos.

_Não, no dia em que fui contar a ela Sarah estava comigo_ Paul disse_ Aurora enlouqueceu quando soube, ela só ficava segurando aquele livro e... Disse que eu e Sarah nunca seriamos felizes juntos, que estavamos condenados a uma vida de desgraças. Ela jogou uma maldição sobre nós.
 

_Maldição?_ Demetria repetiu deixando bem claro seu ceticismo.

_Eu sei que parece loucura_ ele sussurrou_ mais você viu com seus próprios olhos o que aconteceu.

Demetria se encolheu levemente ao lembrar da cena no porão, Joseph gritando em agonia, mudando bem diante de seus olhos. Era realmente dificil de acreditar, de entender... Mais era bem real. 

_Eu ainda lembro do que ela disse_ Paul continuou a falar_ que nós seriamos amaldiçoados e que nossos filhos trariam dor e sofrimento a todos que chegassem perto demais. Eu não dei ouvidos porque achei que ela fosse louca_ deu de ombros_ eu e Sarah fomos felizes... Mais ela morreu no parto do nosso filho, eu tive que criá-lo sozinho.

_Deve ter sido dificil_ Demetria comentou.

_Ele era a alegria da minha vida... Um muleque alegre e brincalhão. Ele e Nicholas eram amigos, ou quase isso_ fez careta_ eles viviam juntos, a maior parte do tempo brigando é claro... Mais quando Joseph fez onze anos tudo mudou.

_Foi quando aconteceu?

_A primeira lua cheia depois do aniversário dele_ concordou_ primeiro eu achei que era só uma febre, porque ele estava muito quente, mais ai depois ele começou a se controcer de dor e se transformou bem na minha frente... Foi quando ganhei isso_ ele ergueu a manga da blusa, mostrando a marca de três unhas enormes.

Demetria sentiu-se levemente enjoada com tudo aquilo... O uivo que veio em seguida não lhe ajudou a relaxar. 

_Fiquie desesperado, sai atrás dele e o encontrei jogado na floresta na manhã seguinte_ continuou falando_ foi depois que ele matou a primeira pessoa que resolvi tomar providencias. Já tinha ouvido falar de lobisomens, foi assim que descobri que a prata é a unica coisa que pode pará-lo... Depois acabei tendo a ideia do porão. Montei tudo, as barras de prata, as correntes.
 

_Eu não sei se teria aguentado isso.

_É meu filho, eu nao podia abandoná-lo_ sorriu_ ele chorava desesperado, sem querer que eu o prendesse... Mais com o tempo ele se acostumou... Claro que algumas vezes da errado, não conseguimos prendê-lo a tempo e ele acaba machucando alguém, mais... Não é culpa dele.
 

Silencio... Demetria sentia-se como se estivesse numa especie de filme de terror, não era uma sensação agradavel... Seus olhos vagaram até a porta da frente e ela teve vontade de correr, de gritar... De sumir, mais algo a impedia de sair do lugar.

_Não é culpa dele Demetria_ Paul sussurrou_ ele não faz por querer, só não pode controlar... Ele não machuca as pessoas de proposito, é tudo um acidente.

Ela não respondeu... Só encarou Paul em silencio, ele agora parecia desesperado.

_Se você contar isso a alguém, se alguém descobrir que ele e a fera... Joseph é um homem morto, não vão se importar em perguntar o que acontece, só vão matá-lo. Nunca contamos esse segredo pra ninguém, sempre foi só entre eu e ele... Eu sempre fui a unica pessoas com quem ele pode contar, a vida dele sempre foi minha responsabilidade... Mais isso acaba de mudar.
 

Uma pequena lágrima escorreu pelos olhos de Demetria.

_Agora não depende mais só de mim... Ele acaba de entregar a vida dele em suas mãos_ sussurrou_ só... Pense bem no que vai fazer com ela.
 

Então ela era a unica que sabia dobre aquilo? Demetria não esperava por isso... Ela podia ser a responsavel pela morte de Joseph se dissesse algo que não devia. O certo seria contar a alguém, pra que pudessem acabar com o monstro e ninguém mais ia se ferir... Mais não havia como se livrar da fera sem machucar Joseph junto e isso ela não podia fazer... Estava com medo sim... Mais também o amava como nunca amara outro homem na vida... Então o que fazer? Foi a pergunta que lhe atormentara durante toda a noite.


Hey gente voltei \o/ sentiram minha falta ? não ne ? ok :(. Meninas me desculpem não ter postado esses dias é que eu tive um pequeno probleminha :D mais agora ta tudo bem.Bom ta ai o Capítulo pra vocês espero que gostem e Comentem BASTANTE.

PS: Muito Obrigada Clarinha pelo Selinho.

8 comentários:

  1. eu senti sua falta sim! rum!
    amei, amei, amei o cap!
    posta logoooooooooooooooo!
    bjs!

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAAAAAAAAH PRIMEIRA...
    NOSSA QUE PERFEITO...
    eu nem sei oq dizer estou tao chocada. :O
    ta lindo e e POSTA SUPER LOGO!!!!!
    ou entao eu vou ter um infarto de ansiedade - isso existe? -
    óh ta vendo eu nao consigo parar de tagarelar
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    NAO ESQUECE POSTA SUUPER LOGO

    ResponderExcluir
  3. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH QUE SAUDADES FLOR QUE BOM QUE VC VOLTOU NOSSA OMG AMEI O CAP FICOU TIPO ASSIM SUPERRR,SUPERR NOSSA POR FAVOR POSTAAA LOGOOO BJS

    ResponderExcluir
  4. OMG
    Eu nem tenho palavras pra explicar o quando ótimo foi esse capitulo ahhhh eu estou tendo um ataque de histeria aki OMG OMG OMG como uma fic pode ser tão perfeita? O.O
    Posta + please
    Bjonasemiley and stay strong like a skyscraper :*

    ResponderExcluir
  5. Sentimos sua falta sim;-)
    Uau que capítulo mais perfeito..
    Xoxo

    ResponderExcluir
  6. nossa posta logoooooo

    ResponderExcluir
  7. PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO,PERFEITO

    ResponderExcluir