segunda-feira, 2 de julho de 2012

Capítulo 10

Observou o menino passar rapidamente por ela usando apenas uma boxer e subir rapidamente as escadas entrando no banheiro em seguida. Mexeu o chocolate quente na xícara suspirando alto e lembrando da conversa que tiveram algumas noites antes. O que ela teria que fazer pra Joe aceitar que ela queria ficar com ele? Queria ser dele, queria ele pra ela. Só pra ela.
Continuou sentada observando o liquido marrom fazer movimentos circulares na xícara e quando deu por si, viu que Joe já descia as escadas apressado.


- Vou sair. Tenho que resolver algumas coisas com os caras, só devo voltar de noite. – Falou roubando uma torrada no prato dela.


- Entende agora por que eu quis ficar com o Harte? – Ela sorriu levemente fazendo-o rir.


- Vai ficar bem? – Perguntou calçando o tênis que estava jogado no canto da sala.


- Não, vou tentar me suicidar. – Falou séria e sentiu uma bolinha de papel atingir sua cabeça. – Ai, é brincadeira! – Riu.


- Não brinca com isso. – Respondeu sério, a olhando. Vestiu o moletom e guardou a carteira no bolso traseiro. – Quer alguma coisa? – Perguntou distraído procurando alguma coisa no sofá da sala.


- Você pra mim. – Demi respondeu baixo o olhando. Ele a olhou esperando uma resposta e ela negou com a cabeça sorrindo em seguida.


- Até mais tarde! – Acenou brevemente e ela mandou um beijo vendo sumir pela porta.

Caminhou pensando no que tinha acontecido algumas noites antes. Estava claro que Joe queria aquilo tanto quanto ela, mas por alguma razão ele parecia ter medo de que aquilo acontecesse.
"Medo!"
Pensou rolando os olhos, o que podia acontecer? Ela ficar grávida? Fez careta. Lógico que não, ela sabia os cuidados que devia ter. Lembrou do medo dele a machucar, mas não podia ser aquele o único motivo. Quem ele pensava que era? Edward Cullen? Riu sozinha.
Não hoje. A voz de Joe ecoou em sua cabeça. Aquela noite não, pensou, mas e essa noite? Ela sabia que ele não poderia negar se fosse pego de surpresa, afinal ele também queria e ele era homem! Por Deus, desde quando homens conseguem ser tão controlados? Por que logo Joe tinha que ser tão certinho e maduro?
Sentiu os olhos de Harte sobre si e se deu conta de que estava andando em círculos enquanto o animal a observava deitado no canto da sala. Riu sozinha se achando patética por estar bolando maneiras de fazer um homem dormir com ela.
 


# Flashback (9 anos antes)

Demi abriu os olhos e se sentou rapidamente na cama sorrindo ao lembrar que seus pais voltariam de viagem. Pulou da cama e saiu do quarto às pressas indo até o quarto ao lado, mas seu sorriso sumiu ao ver que ele continuava vazio. Desceu as escadas de dois em dois degraus e entrou na cozinha esperando ver sua tia preparando o café da manhã como acontecera nos últimos dias, mas estava tão vazio quanto o quarto no andar de cima. Um post it estava preso na geladeira.

"Volto logo, não se preocupe."

A letra de sua tia estava estranha, parecia ter sido escrita às pressas.
A menina suspirou observando a cozinha vazia e subiu as escadas indo até o quarto de seus pais. Abriu a porta do closet e entrou no pequeno cômodo passando a mão pelas roupas empinduradas e arrumadas. Sentia falta de acordar sentindo sua mãe fazer carinho em seus cabelos ou com a televisão alta que seu pai assistia na sala no andar de baixo. Parecia que meses haviam se passado desde a ultima vez que os vira, apenas doze dias antes.
Sentou no chão ao lado do vestido longo que sua mãe usara apenas uma vez e fechou os olhos encostando a cabeça no armário atrás de si.

O barulho de porta se fechando a despertou rapidamente. Se deu conta que havia cochilado sentada no chão e seu pescoço doía por estar apoiado para trás. Se levantou e saiu do quarto correndo.


- Mãe! – Gritou ainda no andar de cima, mas quando chegou no meio das escadas viu que era sua tia e Joe.


Parou os olhando e sentiu o coração apertar, os olhos da mulher estavam vermelhos e o rosto de Joe era uma mistura de dor e preocupação. Sua respiração ficou pesada como se aquela sala tivesse ficado apertada demais e o ar que entrava não conseguisse chegar até seus pulmões. Sentia a aproximação cuidadosa de sua tia, mas não desviou o olhar do de Joe.


- Dem... – A mulher falou quase inaudivelmente tentando evitar que as lágrimas acumuladas em seus olhos caíssem. Demi balançou a cabeça ainda sem entender o que estava acontecendo, mas sabia que havia algo muito errado por ali. Onde estavam seus pais afinal?


- Joe, o que aconteceu? – Perguntou sentindo um caroço em sua garganta.
O menino deu alguns passos se aproximando dela que continuava parada no meio da escada.


- Aconteceu um... – Joe parou engolindo em seco e fechou as mãos em punhos. – Um acidente. – Completou mais baixo. Demi balançou a cabeça negativamente dando um passo pra trás. Ela só queria saber onde estavam seus pais! – A sua mãe... Ela, ela não resistiu. 


Um grito ficou preso na garganta da menina quando ela sentiu seu coração ser esmagado pelas palavras de Joe. Seus lábios estavam abertos, mas nenhum som foi emitido. Tentou respirar normalmente, mas não havia oxigênio suficiente por ali, não pra ela.
Subiu as escadas correndo tropeçando em vários degraus por causa das lágrimas que embaçavam sua vista e entrou no quarto de seus pais ouvindo passos a acompanharem, mas não se preocupou em mandar Joe parar de segui-la, ele sabia os limites. Fechou a porta do closet escorregando até o chão e encolheu as pernas encostando a testa nos joelhos deixando que o choro tomasse conta do cômodo.
Joe sentou em silêncio do outro lado da porta sentindo a pontadas em seu peito aumentarem cada vez que o choro da menina se tornava mais alto. As lágrimas caiam livremente por seu rosto, mas ele não importava com a dor que estava sentindo, só queria poder fazer a dor de Demi parar.

Sua garganta doía e seus olhos mal conseguiam se manter abertos, as lágrimas que caiam por ele foram cessando ao poucos enquanto a menina sentia seu corpo completamente estuporado. Seu rosto continuava afundado entre seus braços e suas pernas e ela não sabia se conseguiria sair daquela posição.


- Joe? – Chamou o garoto estranhando sua própria voz baixa e abafada.


- Eu to aqui. – Ele respondeu, calmamente.


- Por quê? – Perguntou em meio a um soluço. Joe suspirou esticando as pernas e observando o quarto vazio e perfeitamente arrumado.


- Destino. – Falou incerto ouvindo a menina fungar.


- O destino é sempre ruim assim? – Desencostou a testa de seus joelhos e sentiu o corpo doer por causa do movimento. O closet tinha o perfume de sua mãe e ela fechou os olhos inspirando profundamente para guardá-lo na memória. 


- Nem sempre. – Joe deu de ombros.


- Ele não é ruim com você, é? – Se virou ficando encostada na porta e espalmou uma das mãos na madeira clara.


- Não.


- Por que não?


Joe observou a porta fechada do closet e encostou a palma da mão na madeira. – Porque meu destino é você. – Respondeu quase inaudivelmente. 



# End of flashback

Abriu a porta de casa se sentindo aliviado por finalmente estar em algum lugar livre do frio. O loft estava quente e confortável, as janelas estavam fechadas, da mesma forma como ele as deixara pela manhã. Harte foi ao seu encontro balançando o rabo e ele fez um carinho rápido na cabeça do animal. Olhou ao redor, tudo estava quieto demais, nenhum sinal de Demi. Largou o moletom em cima do sofá e caminhou até o quarto. No meio da escada pôde ouvir o chuveiro ligado, isso explicava o silêncio.
Desabotoou os primeiros botões da camisa e sentou na cama abruptamente tirando o tênis de qualquer forma e deixando-o largado no chão. Arrumou os travesseiros de forma que eles ficassem altos e se deitou respirando fundo.
O barulho do chuveiro cessou e minutos depois Demi saiu dali enrolada numa toalha, com os cabelos presos em um coque mal feito.
Joe observou as pernas descobertas da garota, por que as pernas dela o atraiam tanto? Seu olhar subiu pelo corpo quase nu dela e parou em seu sorriso doce.


- Chegou cedo! – Ela falou ainda parada na porta do banheiro arrancando-o de seus pensamentos.


- É – Foi a única coisa que saiu de sua boca. – Eu... acho que vou tomar um banho também! – E se o frio não estivesse doendo nos ossos o banho seria bem gelado. Aquela garota podia acabar com ele se quisesse.


Demi observou ele entrar no banheiro rapidamente e sorriu sozinha. Foi até a cozinha cantarolando uma musica qualquer e pegou algumas uvas na geladeira. Ela queria aquilo mais do que nunca e estava certa do que estava fazendo. Se não fosse com Joe, então não seria com nenhum outro cara. Ela era dele e qualquer um que a conhecesse sabia disso. Ela sempre fora dele e isso era algo que tempo algum mudaria.
Ajeitou a toalha no corpo e se olhou no espelho que tinha na sala. Ela estava pronta e confiante. Nada estragaria aquela noite.

A porta do banheiro foi aberta e um Joe apenas de boxer e com os cabelos bagunçados e molhados saiu de lá. Demi o observou ainda do andar de baixo, ele sentou na cama e começou a mexer no celular. Uma ultima olhada no espelho e um último sorriso confiante.
Subiu as escadas lentamente e quando pisou no ultimo degrau viu os olhos de Joe desviarem do celular e a analisarem meticulosamente, dos pés até chegarem em seus olhos.


- Não vai se vestir? Tá frio. – Ele sorriu fazendo-a sorrir também.
Demi mordeu o lábio inferior num misto de sedução e insegurança. Ela não podia ficar insegura, não naquela hora. Ela queria aquilo e aquela era sua maior certeza.
Deu alguns passos em direção à Joe vendo o menino a olhar sem entender. Ela sorriu docemente e ele se levantou botando o celular no criado mudo novamente.


- Dem, o que... – antes que ele terminasse a frase ela deixou seu braço se afastasse um pouco de seu corpo, fazendo com que a toalha caísse em seus pés.
Joe a olhou sem entender, ela só podia estar brincando com ele, que droga ela estava fazendo? E por que ele sentia como se o corpo dela fosse uma espécie de imã para suas mãos que pareciam implorar para tocar na pele dela? Observou o corpo absolutamente nu da garota em sua frente e viu seu desejo por ela se triplicar, aquele corpo habitava seus pensamentos há tanto tempo, e agora a visão dessa forma o fez pensar se ele precisava mesmo lutar tanto contra seus desejos.
Ela se aproximou ainda mais dele pousando uma mão em sua cintura e a outra em seu peito. 


- Por que você fez isso, Demi? – Ele ouviu sua própria voz implorar por misericórdia. Aquilo era demais pra ele.


- Eu amo você, Joe, e não vou desistir de ser sua. – Ela o olhava nos olhos enquanto ele se proibia mentalmente de mover suas mãos. – Você é homem, eu sou mulher, não existe absolutamente nada de errado com isso, Joe. Nós temos um desejo em comum e eu não vejo o por que de controlar isso. Eu quero ser sua. Mais do que eu sempre fui.

I wake up in the morning put on my face
Eu acordo de manhã e coloco minha máscara
The one that's gonna get me through another day 
A que vai me fazer passar por outro dia
Doesn't really matter how I feel inside
Realmente não importa como eu me sinto por dentro
'Cause life is like a game sometimes
Porque a vida às vezes é como um jogo

Sem que Joe tivesse tempo de pensar duas vezes, suas mãos já estavam percorrendo o caminho pelo corpo da garota. Desde seu quadril, sua cintura, seu seio, seu colo, tudo nela parecia chamar por ele. Passou a mão pelos cabelos macios dela soltando-os do coque e deixando que eles caíssem livremente pelas costas dela.
As mãos de Demi subiram até a nuca do garoto, seus dedos imediatamente entrelaçando-se em seus cabelos. Ela se esticou um pouco alcançando seus lábios e sentindo o corpo do garoto finalmente ceder. Deixou escapar um gemido quando sentiu a língua dele brincar com a sua.

But then you came around me
Mas então você chegou perto de mim
The walls just disappeared
As paredes desapareceram
Nothing to surround me
Nada para me cercar
And keep me from my fears
Nem me proteger dos meus medos
I'm unprotected
Eu estou desprotegida
See how I've opened up
Veja como eu me abri
Oh, you've made me trust
Oh, você me fez confiar

As mãos dele seguraram firmemente em sua cintura, enquanto sentia todo o corpo ser eletrizado pelo contato com o corpo nu dela. Ela apertou ainda mais seu corpo contra dele e ele sentiu a resposta imediata, tudo acontecia tão rápido quando ela estava por perto, e sempre saia de seu controle.
Joe deitou a garota na cama, ainda incerto do que estava fazendo, aquilo tudo era tentador demais pra ele, e por mais que ele tivesse medo de machucar a garota, seu desejo era enorme e fazia todo o seu corpo gritar pelo dela. Se encaixou entre as pernas dela enquanto suas mãos viajavam naquele corpo que vinha assombrando seus pensamentos há semanas. Ouviu um gemido escapar entre os lábios dela quando apertou sua cintura aumentando o contato entre os corpos.

Cause I've never felt like this before
Porque eu nunca senti nada assim antes
I'm naked around you
Eu estou nua perto de você
Does it show?
Dá pra perceber?
You see right through me and I can't hide

Você vê através de mim e eu não posso esconder
I'm naked around you
Eu estou nua perto de você
And it feels so right
E isso parece tão certo

As mãos dela passearam pelo corpo dele, o arranhando constantemente e foram até a boxer azul escura com carneirinhos que ele usava. Ela parou de beijá-lo e sorriu enquanto descia a boxer que ele mesmo terminou de tirar e jogou em algum canto do quarto.


- Eu não vou fazer nada que você não queira. – Joe falou mais para si mesmo do que para Demi. Ela sorriu segurando o rosto dele com as duas mãos.


- Eu quero você, mais do que qualquer outra coisa. – Sussurrou com a respiração falha.
Joe suspirou alto e concordou com uma aceno de cabeça. Ele sabia que ela era virgem e nunca tivera sequer um namorado. Beijou lentamente o pescoço da garota ouvindo sua respiração ficar mais pesada, ela segurou com força em seu cabelo e arranhou suas costas o estimulando. Beijou toda a extensão de sua mandíbula, seu queixo até chegar em seus lábios deixando com que suas línguas se encontrassem e explorassem suas bocas.

I'm trying to remember why I was afraid
Eu estou tentando me lembrar por que eu tinha medo
To be myself and let the covers fall away
De ser eu mesma e deixar as proteções irem embora
I guess I never had someone like you
Eu acho que nunca tive alguém como você
To help me, to help me fit
Para me ajudar, me ajudar a me ajustar,
In my skin
Na minha pele

As mãos da menina estavam inquietas e indecisas sobre o corpo dele, ela sentia seu corpo inteiro desejar pelo dele, sentia seu coração bater descontroladamente em seu peito e sua mente se desligar de tudo que estava à volta deles.
Aquele era o momento deles, só deles. Nenhuma pessoa nunca saberia dizer o que eles sentiram, talvez nem eles mesmos conseguissem definir todos os sentimentos se misturando e se encontrando.
Joe esticou o braço abrindo a gaveta no criado mudo e tateou a procura de uma camisinha. A menina começou a beijar seu pescoço desviando sua atenção e ele respirou fundo pegando o preservativo e colocando-o o mais rápido que conseguiu.


I've never felt like this before
Eu nunca senti nada assim antes
I'm naked around you
Eu estou nua perto de você
Does it show?
Dá pra perceber?
You see right through me and I can't hide

Você vê através de mim e eu não posso esconder
I'm naked around you
Eu estou nua perto de você
And it feels so right
E isso parece tão certo

Encostou a testa na de Demi a olhando nos olhos e se assustou com a quantidade de desejo e confiança refletida neles. Viu a menina morder o lábio para não deixar que um gemido escapasse e segurar com força em seu braço. Aquilo provavelmente iria doer por ela ser virgem e ele só esperava que isso não fizesse com que todo o desejo e confiança se esvaíssem.
Ela o puxou pela nuca beijando sua boca avidamente numa tentativa frustrada de controlar os gemidos e suspiros.
Os movimentos de Joe eram lentos e cautelosos, a idéia de que podia machucá-la o assombrava. Desceu os beijos para o pescoço da garota enquanto a ouvia suspirar e sussurrar seu nome de tempos em tempos. A cabeça dela jogada pra trás e seus lábios abertos com a respiração ofegante o estimularam a continuar e aumentar o ritmo dos movimentos. As unhas dela se encravaram em seu braço e uma lágrima solitária desceu por seu rosto suado.


- Dem, eu to te machucando? Eu posso tentar parar se você quiser e... – Ele pareceu tão horrorizado com a idéia quanto ela.


- Não! Tá tudo bem, eu confio eu você! – Ela deu um meio sorriso ofegando e selou os lábios nos dele.

I'm so naked around you
Eu estou desprotegida ao seu redor
And I can't hide
E eu não posso esconder
You're gonna see right through, baby
Você vai ver através de mim, baby.





Continua...


Ps: Comentem ok !

14 comentários:

  1. Tá, agora que eu dou um surto!
    POR QUE PAROU AI??? SÓ ME RESPONDE! FOI POR QUERER? PRA MATAR A GENTE? FOI?? AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!
    Você já devia crer que eu, ou melhor, TODOS aqui vão ficar curiosos! POR QUE??? :'(
    Ok, desculpa ai em cima...

    Posta looogo! ;*

    ResponderExcluir
  2. NOSSA CONCORDO COM ELA ! POR QUE VC PAROU AI ??? QUER MATAR GERAL ? É ISSO MESMO !

    Foi malz ... Mas meu deus .. Estou tendo um atake nesse momento ! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

    isso é tortura ! Possssssssta logoooo

    to esperando hein !

    ResponderExcluir
  3. OMG, PORQUE VOCÊ PAROU AI ??? QUER NOS MATAR? kkkk
    Posta logoo ! Ta muuito PERFEITO

    ResponderExcluir
  4. Omg nossa eu tava esperando por esse tipo de cap ansiosamente por favor posta logo to muito curiosa :)

    ResponderExcluir
  5. PORQUE PAROU AI???????
    POSTA LOGO
    PERFEITO
    POSTA LOGO
    BeiJemi

    ResponderExcluir