quinta-feira, 12 de julho de 2012

Capitulo 15

Demi vestiu a calça jeans e uma blusa pólo azul clara, se olhou no espelho imaginando se estava vestida adequadamente, mas se lembrou que aquela era apenas um encontro informal com o advogado e sentiu seu estomago se contrair só de pensar nisso.
Três dias antes, recebera o telefonema do advogado de sua mãe pedindo para encontrá-la para que pudessem resolver algumas coisas que estavam pendentes desde que seu pai morrera. Aquela não era exatamente uma lembrança que Demi queria reviver, mas agora ela era adulta e precisava aprender a lidar com a vida.
Joe saiu do banheiro com uma calça jeans escura e uma pólo também azul clara. Os dois se entreolharam rindo e Joe balançou a cabeça.


- Sem chance, vou trocar, espera. – Falou indo até o armário e escolhendo uma camisa preta. Trocou rapidamente e se olhou no espelho passando a mão pelo cabelo.


- Tô pronta. – Demi falou pegando a bolsa em cima da cama. – Tô muito adolescente? – Fez careta arrancando uma risada do menino.


- Tá normal. – Deu de ombros. – All Star não tem faixa etária. – Brincou.


- Tô nervosa, Joe. – Confessou enquanto saiam de casa. – Não gosto de ter que conversar sobre esses assuntos.


- Não precisa ficar assim, Dem. São apenas coisas que ficaram pendentes com a morte de seu pai. Tenho certeza que não é nada demais. – Falou calmo, tranqüilizando-a.
Entraram no carro em silêncio, Joe ligou o som baixo deixando em uma rádio qualquer apenas para tentar aliviar a tensão. Demi olhava distraída pela janela, vez ou outra soltando um longo suspiro numa tentativa de se acalmar e convencer a si mesma que não era nada demais e tudo acabaria mais rápido do que ela podia imaginar. Suas mãos inquietas brincavam com o zíper da bolsa fazendo um barulho irritante que passava despercebido para ela.
Joe parou em um sinal vermelho e olhou de canto de olho para a menina ao seu lado. Aquele barulho já estava o deixando louco. Pegou a mão dela entrelaçando seus dedos e a segurou firme em seu colo. Demi soltou outro suspiro pesado e fechou os olhos se sentindo levemente mais calma apenas por aquele contato com a mão dele.
Em menos de meia hora chegaram ao escritório do advogado. Joe soltou primeiro e foi abrir a porta para a menina vendo o medo estampado em seus olhos.


- Quero voltar pra casa. – Falou engolindo em seco.


- Hei, olha pra mim. – Joe pegou suas mãos fazendo-a olhá-lo. – Não se resolve os problemas fugindo deles. Você tem dezoito anos e é uma adulta, você é responsável por si mesma. – A menina abaixou os olhos envergonhada por estar sendo tão fraca, mas ele tocou em seu queixo voltando a ter contato visual com ela.


- Desculpe. – Sussurrou.


- Eu tô do seu lado, mas isso não significa que eu possa resolver seus problemas, eu só posso ajudar você a enfrentá-los. – Demi concordou com um aceno de cabeça e soltou do carro.


- Tudo bem, vamos resolver logo isso. – Respirou fundo ajeitando a blusa e viu Joe sorrir. – Brigada. – Falou baixo, beijando o ombro dele.


- Sempre que precisar, madame. – Riu beijando as costas da mão dela.

Demi entrou no escritório sentindo o corpo todo tremer e a vontade de sair correndo dali ficar cada vez mais forte. Ela apertava firmemente a mão de Joe e sentia que ele tentava a tranqüilizar passando o polegar pelas costas de sua mão.
Philip era um homem de quase 50 anos e apesar da aparência tranqüila e quase infantil, parecia ser um advogado extremamente competente. Sua expressão era quase sempre séria, apesar do humor que por vezes ele deixava transparecer, o que fazia Demi ficar mais relaxada e esquecer que aquilo era um encontro para falar de assuntos tão importantes.
Joe preferiu ficar mais quieto e deixar que Demi assumisse o controle da conversa, ela já era adulta o suficiente para falar por si mesma e entender o que Philip a explicava. Algumas vezes ele entrava na conversa apenas para dar suporte a garota que lhe sorria agradecida.
Quase uma hora depois, Philip se levantou da cadeira e estendeu a mão para que Demi e logo depois Joe a apertassem. A reunião havia acabado e agora Demi respirava aliviada, não fora tão ruim quanto ela prevera.


- Então, o que achou? – Joe perguntou ligando o carro e olhou a menina ao seu lado.


- Melhor que o esperado. Achei que ele fosse algum tipo de carrasco. – Riu.
Recostou-se no banco e observou as ruas movimentadas pensando no que faria. A reunião afinal era pra discutir o que sua mãe havia deixado para ela desde morrera, seu pai nunca havia lhe falado nada, fato que não a surpreendera tanto. A casa que moravam antigamente estava em seu nome, assim como uma conta intocada no banco, seu pai nunca teve acesso a ela apesar das tentativas frustradas de persuasão. 


- No que está pensando? – Joe perguntou curioso. Ela sorriu levemente dando de ombros.


- Em tudo. – Suspirou. – O que acha que devo fazer com a casa?


- O que você quer fazer? – Ele rebateu.


- Vender. – Demi respondeu de imediato.
Aquela casa havia tantas lembranças que ela tentava desesperadamente esquecer que ela não conseguia enxergar nenhuma outra possibilidade. Ali ela vivera os melhores e piores momentos de sua vida e ela sabia que os bons momentos estariam pra sempre com ela, o resto eram apenas fantasmas que a assombravam.


- Conheço um corretor legal, ele que me ajudou a encontrar o loft e vender a casa antiga. – Joe sorriu. – Se quiser posso entrar em contato com ele.


- Brigada. – A menina sorriu sincera.
Quando chegaram em casa, Demi foi até a cozinha ouvindo seu estomago protestar de fome e abriu o congelador procurando por alguma comida congelada, já que seus dotes culinários não eram exatamente aceitáveis.


- O que quer comer? – Perguntou para Joe que estava no sofá brincando com Harte.


- O que tiver, não tô com tanta fome. – Deu de ombros.


- Já sei! – Exclamou animada e abriu o armário ao lado da geladeira. – Cup Noodles. – Falou sorridente pegando dois potinhos.
Esquentou a água rapidamente e quando ferveu, derramou nos potes de macarrão instantâneo. Sentou ao lado de Joe no sofá e o entregou um dos potinhos.


- Que horas é o aniversário do Kevin? – Perguntou distraidamente olhando para a televisão. Quase se esquecera que alguns dias antes Kevin tinha os convidado para o aniversário dele.


- Acho que oito. – Joe respondeu dando de ombros.
Demi concordou em silencio e voltou sua atenção para o macarrão instantâneo repassando mentalmente as possíveis roupas para usar no aniversário.



# Flashback (5 anos antes)

Demi anotava calmamente as anotações que o professor fizera no quadro enquanto, vez ou outra, lançava olhares para os colegas de sala tentando memorizar seus rostos. Estava sentada quase no fundo da sala, em um canto encostada na parede sendo devidamente ignorada por todos os outros alunos. Ser novata na escola tinha suas desvantagens.
Observou pelo canto do olho quando uma garota loira que estava um pouco a sua frente comentou alguma coisa com outra menina igualmente loira e as duas olharam para ela soltando uma risadinha logo depois. Engoliu em seco e, discretamente, passou a mão pelo cabelo e conferiu se havia algo errado com seu uniforme. Antes que pudesse achar algo fora do lugar, o sinal tocou anunciando o intervalo e ela suspirou aliviada.
As pessoas saíram da sala com uma rapidez incrível e quando deu por si só havia ela e mais dois garotos na sala que estavam concentrados em seus próprios livros de Biologia. Nerds, pensou ponderando se sairia da sala apenas para dar uma escapada até o banheiro e tentar achar Joe, ou se era melhor permanecer ali, longe dos olhares julgadores e comentários maldosos.


- Dem! – Ouviu uma voz a chamar e olhou para a porta da sala vendo Joe a olhar sorrindo. Sorriu de volta e quando ele fez um gesto a chamando ela hesitou alguns segundos antes de ir até seu encontro.


- Hei, como você achou minha sala? – Arqueou a sobrancelha pensando se havia algum mural de avisos com o nome dos alunos e suas respectivas salas, mas, até onde se lembrava, as salas eram indicadas em papéis que os alunos recebiam.


- A Jane da secretaria gosta muito de mim. – Ele sorriu convencido. – Vamos lá pra fora. – Falou abrindo a porta completamente e Demi pôde ver as duas garotas loiras e mais uma morena encostadas na outra parede encarando os dois e cochichando entre si.


- Hm, acho melhor não, Joe. – Observou novamente seu uniforme. A única diferença entre o dela e os das outras garotas era o all star branco sem meia que ela achava bem mais bonito do que aquele sapatinho de boneca e aquela enorme meia branca. Não vira nada sobre isso ser alguma infração no regulamento do colégio.


- Por que não? – Joe perguntou sem entender. – Por sinal, eu adorei o all star. Poucas garotas aqui têm coragem de usar. 


- É, percebi. – Respondeu sem graça.
Joe rolou os olhos e observou o corredor quase vazio.


- Vai, vamos conhecer o colégio. Não tem quase ninguém no corredor, tá vendo? – Puxou a menina pela mão pra fora da sala e indicou o corredor.Demi abriu a boca pra protestar, mas foi interrompida. – Sem desculpas. Não vou deixar você enterrada na sala com dois nerds. – Falou lançando um olhar rápido para os dois meninos concentrados nos livros.
Demi escondeu as mãos nas mangas compridas do uniforme e sentiu Joe passar o braço por seu pescoço enquanto eles caminhavam pelo longo corredor. Dali ela já podia ver o enorme jardim apinhado de alunos aproveitando o dia claro e sem chuva. Duas garotas que pareciam da idade de Joe passaram por eles e a olharam de cima a baixo fazendo-a arregalar os olhos e sentir o rosto esquentar. Antes que pisassem na grama, ela parou olhando o garoto ao seu lado.


- Afinal, o que tem de errado comigo? – Perguntou, irritada. Ele a olhou de cima a baixo, como as outras garotas. – Não me olha assim! Qual é o problema? É proibido usar all star?


- Claro que não, Dem. E não tem nada de errado com você. – Joe respondeu um pouco assustado. 


- Claro que tem, todo mundo fica me olhando e me medindo.


- Porque você é nova aqui, só isso. – Explicou calmo. – Agora vamos logo antes que o intervalo termine e você não conheça nada. – Ele a pegou pela mão novamente e ela controlou o impulso de soltá-la. Não se sentia confortável no meio de todas aquelas pessoas desconhecidas, e, pelos sorrisos que Joe já havia distribuído, ele parecia ser no mínimo popular por ali.
Caminharam calmamente enquanto Joe ia apontando os lugares e alguns grupos de alunos. Como ela prevera, havia realmente o famoso grupo de cheerleaders e os garotos que jogavam futebol, os observou atentamente e viu que duas das cheerleaders apontaram para eles e lançaram olhares nada agradáveis em direção a ela.


- Joe! – Uma voz feminina chamou sua atenção e ela viu uma garota morena e alta se aproximar sorrindo.


- Oi, Chelle. – Joe a cumprimentou com um sorriso. A menina olhou rapidamente para Demi, as mãos dos dois entrelaçadas e depois sorriu pra Joe novamente. – Essa é a Dem.
- Aw, que bonitinha. Você é nova aqui? – Chelle falou com uma voz de criança e Demi franziu o cenho olhando para Joe. Bonitinha?, pensou, ela acha que eu sou a irmãzinha mais nova do Joe ou o quê? - É, sou nova aqui. – Forçou um sorriso.
Chelle devolveu o mesmo sorriso e voltou sua atenção para Joe puxando algum assunto inútil. Demi rolou os olhos e soltou a mão de Joe seguindo em frente observando os grupos de pessoas que conversavam animadamente. Passou por um grupo de garotos e apressou o passo quando eles sorriram pra ela e um deles tentou chamar sua atenção com um “ei, você!”.


- Outch! – Reclamou quando bateu de frente com alguém.


- Dem? – Chris sorriu a olhando e ela se sentiu aliviada por ver um rosto conhecido.


- Chris! Esqueci que você também estudava aqui. – Falou sem graça. – Cadê o Nick?


- Hum... foi procurar o Jonas. – Respondeu olhando em volta em busca dos amigos. – Você tava com ele? 


- É, estava. Mas uma tal de Chelle apareceu. – Torceu o nariz ao falar o nome da menina. – Acho que ela pensou que eu era a irmã mais nova doJoe. – Deu de ombros. 


- Hm, provavelmente. – O menino fez uma careta. – A Chelle acha que é a pessoa mais madura e maravilhosa desse colégio. 


- Ela é uma vaca. 


- Quem é uma vaca? – Joe perguntou sorrindo parando ao lado dela. Demi trocou um olhar cúmplice com Chris e deu de ombros. 


- Um banco vago no gramado, é nosso! – Nick falou e correu para o banco fazendo os outros três rirem. – Andem logo. – Gritou já sentando. 

Os três caminharam calmamente até o banco observando Nick estirar a perna para impedir que dois garotos sentassem ali. Joe sentou na parte de cima fazendo com que Demi ficasse entre suas pernas e ela apoiou um dos braços no joelho dele vendo que muitas pessoas que estavam sentadas ali perto viraram a cabeça pra olhá-la. 

- Qual é o problema dessas pessoas? – Perguntou baixo fazendo Joe sorrir. 


- Carne nova no pedaço, elas estão apenas curiosas. 


- Mas será que eu sou a única novata nessa escola? Ninguém mais entrou aqui esse ano? – Resmungou com a voz quase esganiçada. Nick gargalhou e passou a mão pelo cabelo.
- Claro que existem, mas elas não andam com a gente. – Sorriu convencido fazendo um sinal para ele e os dois amigos. 


- Argh, vocês são populares, eu devia ter imaginado quando o Joe sorriu pra metade do colégio que passava por ele. 


- É, mas nós somos populares legais, diferentes de outros. – Chris explicou. 


- Diferentes da Chelle? – Provocou arqueando a sobrancelha arrancando uma careta do menino.


- A Chelle é legal, cara. – Joe o repreendeu. – Ela só é um pouco fútil. 


- Um pouco, claro. – Nick falou irônico. – Você tá cansado de saber por que ela é legal com você.



 – Resmungou recebendo um olhar feio de Joe.
Demi sorriu sem graça e deixou que o assunto morresse, não precisava de maiores explicações para entender aquilo. Olhou para o outro lado do gramado e viu Chelle rir com mais três amigas. O cabelo castanho claro dela fazia um bonito contraste com os olhos esmeraldas e a pele clara. Suspirou imaginando que ela era da idade de Joe e chegou a conclusão de que nunca poderia competir com uma garota como ela.
Os minutos correram rápido e quando menos esperava ouviu o sinal tocar indicando o final do intervalo. Fez careta tentando lembrar qual aula teria agora e ficou em duvida entre Inglês ou Física. Chris se levantou animado e fez um high five estranho com os garotos alegando que ele teria aula com a professora mais gostosa do colégio, a menina fez uma careta e ele riu beijando sua testa e correndo pelo gramado de volta para o prédio. 


- Quem é a professora? – Perguntou curiosa enquanto caminhava entre Joe e Nick. 


- A Sra. Smith. – Joe respondeu rindo. – A população masculina inteira desse colégio baba nela.


- Gostosa demais. – Nick balançou a cabeça sorrindo. – Jonas, vou indo pra sala, se eu chegar atrasado de novo o Sr. Bones me mata. 


- Tudo bem, vou levar a Dem até a sala dela e vou pra lá. 


- Não precisa me levar até a sala, Joe, eu já sei o caminho. – Demi o olhou depois que Nick se afastou pelo corredor. Joe deu ombros virando para subir as escadas. 


- Aula de quê? 


- Inglês ou Física, não lembro direito. – Respondeu pensativa. – Joe, a Chelle... – Interrompeu a própria pergunta sem saber o que falar. Ele a olhou com a sobrancelha arqueada e ela suspirou. – Deixa pra lá. – Apressou o passo querendo que chegassem logo na sala ao final do corredor e agradeceu mentalmente quando parou em frente a porta. Viu que a sala já estava cheia e uma senhora com algumas pastas passar por ela para entrar na sala. 


- Olá, Joe. – Ela sorriu para o garoto. 


- Oi, Sra. Kim. – Sorriu. – Ela é legal. – Joe falou baixo quando a mulher entrou na sala. 


- Certo, obrigado por não me deixar o intervalo todo dentro da sala. – Demi se virou pra ele e sorriu agradecida. 


- Você agora faz parte do grupo. Não estranhe se o Chris e o Nick começarem a te chamar de mascote. – Riu vendo a careta que a menina fez. – Tem certeza que não quer... terminar a pergunta? – A olhou incerto. - Seria retórica, acho que já sei a resposta. – Deu de ombros tentando parecer indiferente. – Vi o jeito como ela olha pra você, Joe. – Sorriu fraco. Joe a olhou tentando decifrar o olhar dela, não sabia dizer o que estava refletido ali, mas a palavra decepção passou por sua cabeça lhe dando uma sensação estranha. Ele havia ficado com Chelle dois anos antes, quando ambos tinham 15 anos em alguma festa que ele já nem lembrava mais. O “romance” não havia durado nem três meses, Joe deixara claro que era melhor eles serem apena amigos, mas desde então tinha escutar as pessoas comentarem como ela era apaixonada por ele e ele apenas dispensara uma das garotas mais bonitas da escola. - Joe, vai pra aula. – Demi o acordou de seus devaneios e ele concordou vagamente com a cabeça. 


- Boa aula. – Sorriu beijando a testa dela e se afastou lentamente afundando-se de novo em pensamentos. 



# End of flashback

- Ok, acho que tô pronta. – Demi falou do andar de cima. Joe rolou os olhos, ainda sentado no banco da cozinha com uma garrafa quase vazia de Heineken em sua frente. Mulheres... 

- Então desce logo, Dem. Já são quase nove horas. – Respondeu dando um último gole na cerveja.
A menina se olhou novamente no espelho checando a maquiagem e sorriu sozinha, suas bochechas estavam levemente rosadas, seus olhos pintados com sombra azul escura e nos lábios o batom rosa claro dava um leve brilho. Puxou os cabelos para frente deixando-os caídos em seus ombros e saiu do banheiro descendo as escadas com cuidado por causa do salto alto.
Joe jogou a garrafa de cerveja no lixo e suspirou alto ouvindo os passos de Demi na escada, caminhou de volta até a sala e parou sem reação ao vê-la chegar nos últimos degraus.
Wow!


- Então, gostou? – Sorriu passando a mão pelo vestido que havia comprado quando Joe viajara. – Joe? – Falou lentamente vendo os olhos dele grudados em suas pernas e corou levemente caminhando até ele e tocando seu queixo. – Aqui em cima, Jonas. 


- Hum, é curto. – Resmungou olhando novamente para as pernas dela, fazendo-a gargalhar. 


- Eu sei que é curto, mas eu achei tão lindo que não resisti e comprei. Agora dá pra parar de olhar pra minhas pernas e me responder? – Brincou. 


- Eu gostei, mas não sei se vou deixar você sair com ele. – Respondeu sério fazendo a menina arquear a sobrancelha. – Não, eu não estou brincando. – Completou passando os braços firmemente pela cintura dela. – Acho que a gente pode ficar por aqui mesmo. – Sussurrou passando o nariz calmamente pelo pescoço dela, lhe arrancando um suspiro. 


- Devo dizer que essa proposta é bastante tentadora, mas eu realmente quero ir pro aniversário do Kevin. 


- Que Kevin? – Joe a olhou com um sorriso brincalhão e ela riu. – Sério, você está extremamente linda e tentadora dentro desse vestido. – Sussurrou em seu ouvido, sentindo ela se arrepiar.
- E a sua proposta está se tornando cada vez mais tentadora. Acho melhor irmos logo antes que eu desista. – O puxou pela mão ouvindo-o resmungar baixo e a puxar de volta. 


- Não posso me aproveitar de você nem um pouquinho, antes de ter que te dividir com todos os olhares masculinos daquela festa? – Joe a empurrou calmamente até prensá-la contra a parede e beijou lentamente seu pescoço. 


- Pretensioso achar que todos os olhares masculinos da festa estarão em mim. – Demi riu.
- Sou apenas realista. Aceite esse fato. – Rebateu a olhando. – Eu vou adorar mostrar pra todos os babacas da festa que você é só minha. – Ele deu um beijo no canto da boca dela. 


- Adoro quando você fica possessivo. – Sorriu puxando o lábio inferior dele e sentindo-o prensar ainda mais seu corpo contra a parede. Antes que ele pudesse beijá-la, colocou o indicador nos lábios dele o afastando. – Guarda isso pra festa, não quero precisar retocar a maquiagem agora. 


- Aw. – Joe gemeu inconformado arrancando uma risada da menina. 


- Vamos, amor, já tá tarde. – O afastou pelo peito pegando em sua mão. 


- Mas nem um selinho? Desde quando você é tão má? – Perguntou deixando que ela o puxasse para a porta. Demi se virou e lhe deu um selinho rápido. – Menos mal. – Resmungou emburrado sem conseguir deixar de sorrir ao ouvir a gargalhada dela.

- Parabéns, cara! – Joe abraçou Kevin lhe dando alguns tapas nas costas. – Seu presente foi encomendado na internet, então vai atrasar um pouco. – Se desculpou. 


- Sem problemas. – Kevin sorriu. 


- Parabéns, Kevin. – Demi sorriu o abraçando e ele lançou um olhar assustado para Joe fazendo o menino rir sabendo que ele se referia ao vestido da menina. 


- Gostei do vestido. – Falou depois de se separarem. Demi sorriu agradecida e tímida. 


- Tira o olho, cara! – Joe reclamou quando o amigo olhou as pernas dela. Os três gargalharam e entraram na casa já cheia de convidados. – Cadê os viadinhos? 


- Acho que estão no jardim, o Chris trouxe uma garota nova. – Kevin fez um gesto indicando que a garota tinha seios grandes e Demi rolou os olhos achando aquele comportamento extremamente adolescente, mas ainda assim riu. 


- Finalmente, Jonas. Achei que vocês não vinham! – Nick brincou quando avistou os três saindo pela varanda. 


- Mulheres. – Joe acenou discretamente com a cabeça para a menina ao seu lado e ela mandou língua. 


- Por quê? Ela ficou procurando a outra parte do vestido? 


- Nick! – Demi o repreendeu e ele gargalhou a abraçando. 


- O Jonas aqui é corajoso, eu não deixaria mulher minha sair de casa com essas pernas de fora não. – Nick continuou falando e Demi trocou um olhar cúmplice com a menina que estava de mãos dadas com Chris, mesmo sem conhecê-la. Homens podiam ser tão machistas. 


- Pare com isso, Nick. Ela tá ficando sem graça e o vestido nem é tão curto assim, além de ser lindo. – A garota falou e Demi a olhou agradecida. – Charlotte. – Estendeu a mão sorrindo. 


- Demi, prazer. – Copiou o gesto dela apertando sua mão. – Aliás, o seu vestido também é lindo.



 – Apontou o vestido lilás da menina, um pouco mais comprido que o seu. 

- Brigada. 


- Então, vamos saber como você se conheceram? – Joe apontou para Chris e Charlotte e os dois se entreolharam sorrindo e ela começou a contar quando ele alegou que já tinha contado para Nick e Kevin.

- Quero outra cerveja. – Demi fez bico olhando o garoto ao seu lado. O braço dele a abraçava pela cintura enquanto ela descansava a cabeça em seu ombro. Ele a olhou com a sobrancelha arqueada e depois sorriu. 


- Não acha que já bebeu demais? – Brincou apontando a mesa de centro que já acumulava pelo menos cinco cervejas dela, fora as outras espalhadas que juntas acumulavam pelo menos quinze.


- Claro que não, eu tô perfeitamente sóbria ainda, faço até o quatro e o dezesseis se você quiser. – Respondeu emburrada arrancando uma risada do menino. – Por favor, amor. Por favor, por favor. – Ela beijou o pescoço dele e depois subiu para a bochecha enquanto sussurrava “por favor” da forma mais apelativa que conseguia. 


- Aw, Dem. Isso é jogo sujo. – Joe reclamou fazendo uma careta. 


- Eu sei que sim. – Ela soltou um risinho baixo e segurou o rosto dele lhe dando um selinho. – Eu nunca negaria um favor pra você e pegaria todas as cervejas que você quisesse. Não acredito que você vai me negar isso. 


- Um dos sintomas da embriaguez é ficar sensível demais e começar a apelar para golpes muito baixos. – Declarou se levantando e a menina gargalhou mandando beijo para ele.
No sofá em frente ao dela, Chris e Charlotte trocavam litros de saliva e passadas de mãos em todos os lugares alcançáveis. Demi riu balançando a cabeça e passou os olhos pela festa. Do outro lado da sala, duas loiras com enormes decotes fofocavam alguma coisa animadamente e ela rolou os olhos se perguntando como Kevin chamava aquele tipo de gente pro aniversário dele. Viu Joe sair da cozinha com duas garrafas de Heineken e ao mesmo tempo uma das loiras fingiu tropeçar e bateu no braço dele fazendo-o derramar cerveja no chão e na camisa. Arqueou a sobrancelha sem acreditar no atrevimento das duas garotas, mas permaneceu no sofá observando a reação de Joe que apenas sorriu dizendo que estava tudo bem enquanto as duas o seguravam e uma delas passava a mão na camisa dele onde estava molhado. 


- Wow, Joe garanhão. – Um Nick bêbado sentou no sofá ao lado de Demi e riu observando o amigo. Ela arqueou a sobrancelha e o olhou com os olhos serrados. – Opa, desculpa, Dem. E você tá fazendo o quê aqui parada olhando o Joe com aquelas duas gosto... piranhas? 


- Quem sou eu pra criar barraco com duas vadias? – Olhou novamente para Joe que agora ria de alguma coisa que as garotas falavam. – Ele sabe as conseqüências dos atos dele, não é nenhuma criança. – Deu um sorriso cínico para o garoto ao seu lado e cruzou as pernas vendo-o engolir em seco e olhar rapidamente para a parte exposta do seu corpo se levantando rapidamente e sumindo pela varanda. 


- Aqui, madame. – Menos de dois minutos depois, Joe sentou ao seu lado lhe estendendo uma garrafa de cerveja. Da mesma forma que Nick fizera minutos antes, ele olhou para as pernas dela e tomou um grande gole de cerveja. 


- Se divertiu com suas novas amiguinhas? – Sorriu irônica. 


- Bastante, mas não via a hora de vir me divertir com você. – Joe respondeu tranqüilo passando o braço pelos ombros dela a puxando mais pra perto dando-lhe um selinho. 


- Hum sei, com duas loiras peitudas se jogando em cima de você, até parece que você se lembrou de mim. – Fez manha. 


- Aaw, você fica tão bonitinha com ciúmes, Demi. – Brincou mordendo a bochecha dela. – Eu não trocava você nem por um ménage com aquelas duas. – Sussurrou puxando o lóbulo da menina com seus dentes. 


Demi ia responder, mas apenas deixou um gemido baixo escapar por entre seus lábios quando sentiu a língua quente de Joe em contato com a pele de seu pescoço. A mão dele que não segurava a cerveja foi até a perna descoberta dela, desde o joelho até a coxa onde permaneceu com as unhas um pouco encravadas. Ela levou a mão até a nuca dele e deixou que seus dedos se perdessem no cabelo dele, fazendo um carinho provocante. Ele mordeu novamente seu lóbulo e depois foi passando o nariz calmamente pela bochecha dela lhe dando um beijo de esquimó em seguida. Demi sorriu abrindo um pouco os olhos encontrando os Verdes de Joe a encarando, ela podia dizer que ele estava sorrindo sem precisar desviar o olhar para sua boca. 


- Te amo. – Sussurrou sem esperar que ela respondesse, colando os lábios no dela e passando a língua por eles pedindo a passagem facilmente concedida.
Joe a empurrou um pouco pra trás, fazendo-a se recostar no encosto alto do sofá e cegamente colocou a garrafa de cerveja na mesinha de madeira que ficava logo ao lado do sofá. Puxou as pernas dela fazendo com que ficassem em seu colo e aproximou os corpos o máximo que pôde. A mão agora livre da cerveja foi até o pescoço dela massageando-o fazendo com que outro gemido escapasse dos lábios dela. Sorriu satisfeito e aproveitou para dar mais velocidade ao beijo deixando que sua língua praticamente brigasse com a dela.
Demi mordeu o lábio inferior do menino numa tentativa de conseguir recuperar o ar, e o segurou entre os dentes sentindo os próprios lábios latejarem por causa da intensidade do beijo. A mão de Joe em sua coxa a apertou com mais vontade e ela deduziu que ele queria que ela parasse de morder seu lábio. 


- Machucou? – Perguntou, abrindo os olhos preocupada e olhou rapidamente os lábios vermelhos de Joe. Ele apenas sussurrou algo que ela entendeu como uma negação e a puxou pela nuca para que voltassem a se beijar. 


- Vão pra um quarto. – A voz embolada de Nick gritou e em seguida Joe recebeu um tapa no ombro. – Porra, vocês tão corrompendo minha inocência. – Reclamou fazendo Demi gargalhar e Joe o olhar mal humorado. 


- Cara, vai pegar mulher e deixa a gente em paz. – Bufou passando a mão pelo cabelo e afundando o rosto na curva do pescoço da menina.


- Eu tava pegando, mas a menina fugiu, cara. – Nick olhou para os lados desnorteado e Demi reprimiu a risada. – Acho que ela não me quer mais.Dem, você me quer? – Perguntou manhoso e antes que a menina respondesse, Joe lhe mandou dedo. 


- Nick, se o Joe apagar, pode me procurar. – Demi piscou, ouvindo Joe reclamar ainda com o rosto enterrado em seus cabelos. 


- Olha que eu procuro, hein? Jonas, você já apagou? – Riu, recebendo novamente o dedo do meio. – Tá, enquanto isso não acontece, eu vou caçar. – Deu de ombros caminhando desajeitadamente pela sala, onde várias pessoas dançavam ao som da musica alta. 


- O Nick é ótimo quando fica bêbado. – Demi riu acariciando o cabelo de Joe. – Vamos dançar? 


- Dançar? – Ele finalmente desenterrou o rosto do pescoço dela e a olhou em duvida. – Com tanta coisa melhor pra fazer, você quer dançar? 


- Uhum. – Ela roubou um selinho fazendo-o sorrir. – Eu quero mostrar pras duas loiras peitudas que você já tem dona, porque elas não param de olhar pra cá. – Comentou observando as duas garotas dançando e lançando constantes olhares para o sofá em que eles estavam. 


- Vai que na verdade elas querem você, e não eu. – Brincou se levantando a puxando pelas mãos. 


- Ah sim, claro. Nesse caso eu acho que devo ir até lá e ouvir a proposta delas. 


- Oba, eu quero assistir. 


- Fica quieto, Jonas! – Deu um tapinha no ombro dele e começou a dançar no ritmo da musica agitada.
A principio ela se afastou um pouco de Joe e apenas se deixou levar pela musica, mas viu as duas garotas se aproximarem lentamente por trás dele e sorriu fazendo um gesto com o dedo para Joe se aproximasse dela. 


- Tem três imbecis atrás de você praticamente te comendo com os olhos. – Falou passando os braços pela cintura dela. 


- Hm, e tem duas vadias loiras atrás de você só esperando eu me afastar pra darem o bote. – Passou os braços pelo pescoço dele e olhou feio para as duas garotas. – Posso mostrar pra elas que você é só meu? – Demi o olhou sorrindo e ele gargalhou a abraçando com mais força. 


- Fique a vontade. – Sussurrou já com os lábios praticamente grudados no dela.
Suas bocas se abriram ao mesmo tempo e eles não precisavam de palavras para entender o que queriam, em questão se segundos o beijo ganhou intensidade os fazendo esquecer da festa em volta deles e das pessoas que os olhavam. Demi apertou o abraço em volta do pescoço de Joe e sentiu ele a abraçar mais forte como se ainda houvesse qualquer mínimo espaço entre os corpos. Leis da Física não se aplicavam à eles nesses momentos.
Com os lábios latejando e sem ar, Demi partiu o beijo se afastando apenas alguns centímetros de Joe e respirou fundo vendo-o fazer o mesmo. 


- Eu acho que devíamos seguir o conselho do Nick e irmos para um quarto. – Ele conseguiu falar por baixo fôlego, sentindo a voz falhar. 


- Como você é exagerado. Foi só um beijo. – Ela brincou. 


- Só um beijo? – Joe a apertou mais contra si e ouviu um riso baixo escapar pelos lábios dela.


- Olha como seu amiguinho tá animado hoje. – Gargalhou vendo-o sorrir com as bochechas coradas. – Não quero ir pra um quarto, quero me aproveitar de você aqui mesmo. – Mordeu levemente o queixo dele. 


- Vocês mulheres acham que é muito fácil pra gente controlar esse tipo de coisa, né? – Joe sussurrou passeando o nariz pelo pescoço dela enquanto a empurrava discretamente até um corredor mais vazio. 


- Acredite, não é nada fácil para as mulheres também. – Reclamou jogando a cabeça pra trás ao sentir a língua dele em seu pescoço. – Principalmente quando vocês fazem isso. – Completou levando uma das mãos até o cabelo dele e o puxando como uma forma de estimulo. Sentiu as costas baterem contra a parede e fechou os olhos deixando que o garoto brincasse com seu pescoço.
Joe sentia sua excitação aumentar cada vez que Demi sussurrava seu nome ou apertava seu braço o estimulando. Se ele tivesse contado, sabia que já haveriam pelo menos três marcas no pescoço da menina por causa da intensidade dos chupões que ele dava. Desceu uma das mãos para a coxa dela e levantou um pouco sua perna encaixando com perfeição sua coxa entre as dela. Ouviu ela gemer em seu ouvido e puxá-lo pelo cabelo para que pudesse grudar os lábios nos seus novamente. 


- Dem, tem um quarto aqui nesse corredor. – Falou sugestivo ignorando a respiração pesada que mal deixava sua voz sair com clareza. Ela o puxou pela gola da camisa distribuindo pequenos beijos por seu pescoço, enquanto ele procurava a porta do quarto. Quando finalmente a encontrou, girou a maçaneta e viu que estava trancada. 


- O Kevin deve ter trancado pra ninguém entrar. – Demi concluiu.
Joe resmungou um palavrão incompreensível e pegou o celular no bolso da calça, apertando o numero 4 da discagem automática. 


- Fala, Jonas, garanhão. Já soube das duas loiras, vou contar pra Dem, hein? – Kevin brincou já embriagado. 


- Cara, onde tá a chave desse quarto de hospedes aqui do primeiro andar? – Sussurrou tentando manter a voz firme. 


- Opa, opa, o que você quer aí? – Perguntou desconfiado e ouviu as respirações pesadas do outro lado da linha. – Cara, me diz que você tá com aDem e não com minhas primas do interior que abrem as pernas pra qualquer cara. – O tom sério dele fez Joe soltar uma risada de frustração. 


- Claro que é a Demi, seu babaca. Agora dá pra você falar onde tá a droga da chave? 


- OK, tá vendo essa mesinha antes da porta do banheiro com um vaso de flores? A chave tá embaixo do vaso. 


- Certo, valeu, cara. – Desligou ouvindo Kevin dizer “Usem camisinha” e correu para pegar a chave quase deixando o vaso cair e fazendo a menina gargalhar. 


- A pressa é inimiga da perfeição, Joe. 


- Há, engraçadinha. – Ele deu língua abrindo a porta e a puxando pra dentro, trancando o quarto em seguida.
A pressa de Joe fez Demi rir enquanto desabotoava a camisa preta dele com um pouco de dificuldade já que estava prensada contra a porta. As mãos dele estavam inquietas sem se decidir se permaneciam em suas costas ou desciam para suas pernas, quando ela finalmente conseguiu escorregar a camisa dele pelos ombros e jogá-la no chão, deu um impulso e cruzou as pernas na cintura dele sentindo-o segurar firme em suas coxas. 


- Cama. – Sussurrou entre os beijos que distribuía no pescoço dele e em menos de dez segundos sentiu Joe ficar de joelhos na cama e deitá-la calmamente se encaixando entre suas pernas. Ela passou as unhas pela barriga e peito dele, ouvindo-o soltar um gemido enquanto beijava seu pescoço e continuou o arranhando levemente até chegar em suas costas. Suas unhas subiam e desciam pela pele lisa dele, ela amava as costas deJoe. Lembrava-se de quando eram mais novos e iam a praia, sempre dava um jeito de discretamente ficar olhando para as costas e a nuca dele. Riu sozinha com os pensamentos e ele a olhou sem entender. 


- Que foi? – Perguntou respirando com dificuldade e ela lhe roubou um selinho. 


- Nada, acho que é efeito do álcool. – Mentiu puxando-o pela nuca e voltando a grudar seus lábios, não por muito tempo já que ele voltou a beijar o pescoço dela e foi descendo por seu colo, até chegar no final do decote em V do vestido e fazer o caminho de volta.
Demi levou as mãos até o cós da calça jeans que ele usava e abriu o cinto, e a calça junto deixando que ele mesmo a tirasse ficando apenas com a boxer preta que ela adorava. Eles sorriram cúmplices antes dele tirar o vestido dela, deixando-a apenas de calcinha.
Joe deslizou a mão sensualmente pela cintura dela ouvindo-a sussurrar seu nome, seus dedos seguraram a barra fina da calcinha dela e ele beijou suavemente seu ouvido. 


- Eu quero tanto você. – Conseguiu falar sem falhas. 


- Vá em frente, eu sou sua, sempre fui. – Demi respondeu beijando o ombro dele.
Descendo os beijos pelo pescoço dela, ele tirou a calcinha da menina e se afastou um pouco para olhá-la. Já fizera aquilo tantas vezes, e ainda assim a sensação de vê-la nua e inteiramente pronta pra ele lhe parecia surreal. 


- Te amo. – Demi sussurrou lhe dando um selinho e ele sorriu. 


- Também te amo. – Sussurrou de volta vendo-a morder o lábio e tirar a boxer dele jogando-a ao lado da cama. 

Pegou uma camisinha na carteira e colocou-a tentando não se distrair com os beijos que Demi dava em seu peito. 

- Posso pedir uma coisa? – Ela perguntou com um sorriso tímido e ele concordou com um aceno de cabeça. Demi respirou fundo e o empurrou levemente pelo peito fazendo-o cair ao seu lado da cama e ficando por cima dele. Sorriu de uma forma sexy tentando esconder a timidez e viu Joe repetir seu gesto botando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha. Ele beijou seus lábios com carinho e sussurrou o mais claro que pôde: 


- Vá em frente, eu sou seu, sempre fui. 





Continua... hahaha !



18 comentários:

  1. SEGUNDA VEZ! SEGUNDA!!!
    AARG! Como pode parar ai??
    Essa risadinha ai no final do post né? ruuum, te mato garota, lakjdlskdjsalk brinks!

    NÃO DEMORA! u.u

    ResponderExcluir
  2. Segunda ! hahaha

    AFFs .. vc sempre para na melhor parte !!! PQ ???

    Possssssssssta logooooooooooo

    ResponderExcluir
  3. PORQUE TU FEZ ISSO ??????????????.
    Há poque TU adora nos torturar como é que pode uma coisa dessas ¬¬', mas tem nada não, o capitulo tá TUDO DE BOM mesmo tu parando na melhor parte.NUM DEMORA MUITO NÃO VIU

    Beijo yres

    ResponderExcluir
  4. PORQUE PAROU?????????????
    POSTA LOGO
    está PERFEITO
    POSTA LOGO
    BeiJemi

    ResponderExcluir
  5. Oi flor, pode votar no meu blog, I Was Enchanted To Meet You, no Concurso Automatic
    ficsjemi-irreplaceable.blogspot.com.br/

    - Obrigado .

    ResponderExcluir
  6. Ahhhh posta logo! Cap LINDO! :))

    ResponderExcluir
  7. COMO VC OUSA PARAR NESSA PARTE HEIN? posta logoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

    ResponderExcluir
  8. AHHHHHHHHH POSTA LOGOOO POR FAVOR

    ResponderExcluir